Queimadas. Pode fazer até 30 de Junho. Mas a autorização é obrigatória

Queimadas. Pode fazer até 30 de Junho. Mas a autorização é obrigatória

[Fonte: Agricultura e Mar]

A queimada é uma prática da agricultura, destinada principalmente à limpeza do terreno para o cultivo de plantações ou formação de pastos, com uso do fogo de forma controlada que, às vezes, pode descontrolar-se e causar incêndios em florestas, matas e terrenos grandes.

O período crítico de incêndios rurais decorre entre os dias 1 de Julho e 30 de Setembro e encontra-se definido no Artigo.º 2.º – A da Lei 762018, de 17 de Agosto. A sua duração pode ser alterada em situações excepcionais, por despacho.

Autorização necessária

Precisa de fazer uma queima ou uma queimada? Saiba que precisa de autorização. na junta de freguesia, na Câmara. Ou pode registar-se na App do ICNF — Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas e pedir a autorização em 3 passos.

A  aplicação online para licenciamento de queimas e queimadas está aqui.

Alerta

O ICNF — Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, em colaboração com a Guarda Nacional Republicana (GNR), alertam que o uso do fogo encontra-se associado a várias práticas agrícolas e florestais, no entanto, são vários os casos em que estas actividades se descontrolam e originam grandes incêndios com graves consequências ecológicas e sócio-económicas.

98% das ocorrências têm causa humana

Cerca de 98% das ocorrências em Portugal continental têm causa humana. “Assim, torna-se urgente uma alteração de comportamentos na sociedade de modo a que possam ser realizadas as mesmas práticas, mas com um menor risco, ou seja, com uma menor probabilidade de originar incêndios rurais”, salienta o ICNF.

Definições:

  • Queima de amontoados – Uso do fogo para eliminação de sobrantes de exploração florestal ou agrícola como podas de vinhas, de oliveiras, entre outros, cortados e amontoados. É proibido fazer queimas durante o Período Crítico e, fora do Período Crítico, nos dias de risco Muito Elevado ou Máximo.
  • Queimada extensiva – Uso de fogo para renovação de pastagens ou eliminação de restolhos e de sobrantes de exploração florestal ou agrícola, cortados e não amontoados. É proibido fazer queimadas durante o Período Crítico e fora do Período Crítico nos dias de risco de incêndio Elevado a Máximo. Para fazer uma queimada é obrigatório a autorização da respectiva câmara municipal ou junta de freguesia.
    Sem acompanhamento técnico adequado (técnico credenciado em fogo controlado, equipa de sapadores florestais ou bombeiros) a realização de queimadas é considerada uso de fogo intencional com coima associada.

Como fazer uma Queima de amontoados em segurança? Veja aqui.

Como fazer uma Queimada extensiva em segurança? Veja aqui.

Pode aceder ao Manual da Plataforma de Queimas e Queimadas aqui.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo Queimadas. Pode fazer até 30 de Junho. Mas a autorização é obrigatória foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior Pedrógão Grande: Ex-presidente do IHRU acusa Fundo Revita de “gestão fraudulenta”
Próximo 2º Colóquio sobre o Uso Sustentável dos Pesticidas - 3 de junho - Santarém

Artigos relacionados

Nacional

​Três helicópteros Kamov autorizados a operar no combate aos fogos

[Fonte: Rádio Renascença]

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) autorizou esta segunda-feira que três dos helicópteros pesados Kamov possam voltar a operar no combate aos incêndios, confirmou à agência Lusa fonte ligada ao setor aeronaútico.
A autorização da ANAC foi dada depois de a empresa Heliportugal, […]

Notícias florestas

“As cabras sapadoras são um show off político”

[Fonte: Rádio Renascença]
O Governo anunciou, no ano passado, rebanhos dedicados à gestão do combustível florestal.

Há agricultores e pastores que se queixam da libertação sem controlo de cabras selvagens, no distrito de Coimbra. O Governo avançou no ano passado com o projeto-piloto das “cabras sapadoras” […]

Últimas

Agricultores acusam ambientalistas de “desinformação” sobre o trabalho do setor no combate às alterações climáticas

[Fonte: Vida Rural]

A Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo e a Olivum – Associação de Olivicultores do Sul emitiram esta quarta-feira (24 de abril) um comunicado conjunto em que acusam as organizações ambientalistas, os partidos políticos e os jornalistas de “promover a desinformação e colocar em causa o trabalho e o contributo positivo dos agricultores para a dinamização da agricultura, […]