PSD duvida da constitucionalidade do diploma aprovado sobre plantação de eucaliptos

PSD duvida da constitucionalidade do diploma aprovado sobre plantação de eucaliptos

A 19 de Julho, o parlamento aprovou em plenário três dos quatro diplomas do Governo para a reforma da floresta

O PSD tem dúvidas sobre a constitucionalidade do diploma para alterar o regime jurídico aplicável às acções de arborização e rearborização, afirmou nesta quarta-feira o deputado social-democrata Maurício Marques, apontando o tratamento desigual entre cidadãos devido às plantações de eucalipto.

“A legislação que aprovamos é uma grande trapalhada. Independentemente de não concordar com as propostas do Governo, elas tinham alguma coerência, coerência essa que foi adulterada com as propostas que foram introduzidas em cima da hora”, declarou à agência Lusa Maurício Marques, que ocupa o cargo de coordenador do grupo de trabalho da Reforma da Floresta, na Assembleia da República.

“Há aqui uma preocupação que nos assiste. O PSD tem dúvidas da constitucionalidade do diploma que altera o regime jurídico de arborização e rearborização”, disse o deputado Maurício Marques, indicando que “os cidadãos não são tratados todos por igual”.

O social-democrata explicou o tratamento desigual entre cidadãos com o facto de um proprietário que detenha actualmente um terreno com eucaliptos poder “vender os direitos de plantação de eucaliptos”, ou seja, tem uma “mais-valia” relativamente a outros terrenos que estejam agora plantados com outras espécies florestais.

Questionado sobre se o PSD vai agir para reverter a situação de inconstitucionalidade do diploma, Maurício Marques referiu que ainda não houve uma discussão no seio do grupo parlamentar sobre esta matéria.

A 19 de Julho, o parlamento aprovou em plenário três dos quatro diplomas do Governo para a reforma da floresta, com a introdução de alterações discutidas e votadas na especialidade na Comissão de Agricultura, nomeadamente a alteração do regime jurídico aplicável às acções de arborização e rearborização, a alteração do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios e a criação de um sistema de informação cadastral simplificada.

Neste âmbito, a Comissão de Agricultura reuniu nesta quarta-feira para aprovar as redacções finais dos diplomas, uma vez que a divisão de apoio aos serviços ao plenário fez algumas correcções às alterações que foram introduzidas nos diplomas.

De acordo com o coordenador grupo de trabalho da Reforma da Floresta, a reunião resultou em “pequenas correcções do ponto de vista técnico jurídico”, pelo que não foram feitas alterações em termos de conteúdo.

Comente este artigo
Anterior PDR2020: Prorrogação do prazo de candidatura à operação 8.1.6
Próximo Los turistas impulsan el consumo de pescados y mariscos en el litoral

Artigos relacionados

Apoios privados

ACOS solidária com ovinicultores afetados pelos incêndios

A ACOS – Associação de Agricultores do Sul reativou a campanha solidária de entrega de bens alimentares para o gado, desta vez, destinados principalmente a ovinicultores afetados pelos incêndios que aconteceram a 15 de Outubro no centro do país.
Além do profundo pesar pela perda de vidas humanas, […]

Últimas

Pedrógão Grande: Empresário de Castelo Branco e município criam viveiro para reflorestação

Pedrógão Grande, Leiria, 04 ago (Lusa) – Um empresário de Castelo Branco ligado à silvicultura e a Câmara de Pedrógão Grande criaram um viveiro de carvalhos e de sobreiros, com cerca de cinco mil plantas, que posteriormente serão usados na reflorestação dos terrenos.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_5 span,#wpdevar_comment_5 iframe{width:100% !important;} […]

Últimas

Governo rejeitou projetos de proteção florestal por falta de verbas

Duas operações específicas de defesa da floresta que foram feitas no âmbito do PDR 2020 foram rejeitadas devido à falta de verbas.

Vários projetos de proteção florestal viram as suas candidaturas a fundos comunitários rejeitadas devido à falta de verbas para tal. Em causa estão candidaturas relativas a duas operações específicas de defesa da floresta que foram feitas no âmbito do PDR 2020. […]