Proteção Civil está a enviar SMS à população a alertar para risco de incêndio

Proteção Civil está a enviar SMS à população a alertar para risco de incêndio

[Fonte: O Jornal Económico]

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) está a enviar mensagens de texto à população para alertar para o risco de incêndio.

Os SMS com o remetente AvisoPROCIV têm sido enviados ao longo do dia desta sexta-feira, 13 de setembro, pela ANEPC. “Risco extremo de incêndio rural. Fique atento. Evite o uso do fogo. Em caso de dúvida: 800 246 246 ou www.prociv.pt/anepc”.

As mensagens estão a ser enviadas depois de a ANEPC ter declarado o alerta vermelho para 10 distritos de Portugal:  Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu.

A ANEPC emitiu assim “um aviso à população por SMS, de modo a informar os cidadãos acerca da situação de risco extremo de incêndios rurais”, segundo esta autoridade.

“A mensagem de aviso é emitida com o remetente AvisoPROCIV e inclui a referência a um número de atendimento da ANEPC (800 246 246, acessível nas 24 horas seguintes ao envio do SMS), através do qual os cidadãos poderão esclarecer as suas dúvidas, caso necessitem”, explica a ANEPC.

A Proteção Civil esclarece que o “SMS não tem quaisquer custos para o utilizador, e não requer qualquer adesão por parte do mesmo”.

O país está a ser assolados por vários incêndios na tarde desta sexta-feira. Na Sertã, distrito de Castelo Branco, um incêndio florestal está a ser combatido por mais de 300 operacionais, 85 viaturas e oito meios aéreos, segundo a Lusa.

Já em Valpaços, distrito de Vila Real, um incêndio florestal está a ser combatido por 282 operacionais, apoiados por 86 viaturas e cinco meios aéreos.

Incêndios: Mais de 100 concelhos de 13 distritos em risco máximo

Comente este artigo

O artigo Proteção Civil está a enviar SMS à população a alertar para risco de incêndio foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Anterior O olival intensivo ocupa apenas “1,5% do conjunto da área do Alentejo”?
Próximo Mais de 200 operacionais combatem fogo em Miranda do Corvo

Artigos relacionados

Últimas

Incêndios. CNA diz que terras sem dono conhecido são “bode expiatório já cego e coxo”

[Fonte: Agricultura e Mar]

A CNA — Confederação Nacional da Agricultura diz que “sucessivos governos têm participado activamente na criação do “bode expiatório” das parcelas alegadamente “sem dono conhecido” como causa dominante da ocorrência dos incêndios florestais e rurais”.
“Bode expiatório” […]

Últimas

CNA acusa Governo de “lançar confusão” no minifúndio florestal

[Fonte: Vida Rural]

A Confederação Nacional de Agricultura (CNA) emitiu esta quarta-feira (6 de março) um comunicado em que acusa o Governo “lançar a confusão no minifúndio florestal”, poupando “os grandes interesses económicos do setor.”
“Na verdade, mantém-se toda uma engrenagem, […]