Portugal tem um novo instrumento financeiro para apoiar agricultores

Portugal tem um novo instrumento financeiro para apoiar agricultores

[Fonte: O Jornal Económico]

Portugal dispõe de um novo instrumento financeiro para apoiar o investimento nas explorações agrícolas e na transformação e comercialização de produtos, prevendo-se a criação de linhas de crédito no montante global de, sensivelmente, 200 milhões de euros, foi anunciado.

De acordo com a informação disponibilizada na página da internet do Programa de Desenvolvimento Rural (PDR) 2020, o acordo de financiamento entre o Estado e o Fundo Europeu de Investimento (FEI) com vista à constituição desta linha de crédito garantida já foi aprovado, podendo agora as entidades financeiras submeter a sua aplicação de interesse até 27 de agosto.

O novo instrumento financeiro – FEEI-FEADER Portugal -, previsto na regulamentação comunitária, destina-se, assim, a apoiar “pessoas individuais e coletivas que pretendam realizar investimentos abrangidos por determinadas operações do PDR 2020”.

Este combina recursos orçamentais do Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural e do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos, tendo como objetivos “apoiar o investimento nas explorações agrícolas, em particular jovens agricultores, alavancando a ação do PDR 2020 e apoiar investimentos na transformação e comercialização de produtos agrícolas, de forma a promover a sustentabilidade e crescimento do negócio agrícola em Portugal”.

O Fundo Europeu de Investimento canaliza os recursos através das instituições financeiras selecionadas, assegurando a cobertura de garantia até 25% das linhas de crédito que estas vão disponibilizar aos agricultores em Portugal.

Prevê-se, assim, a criação de linhas de crédito junto dos agricultores no montante global de cerca de 200 milhões de euros, “que irão permitir o acesso ao crédito bancário em condições mais favoráveis, nomeadamente, maturidades mais longas ou ainda períodos de carência mais vantajosos […], maior flexibilidade nas garantias exigidas e taxas de juros mais baixas”.

Por sua vez, os agricultores vão poder aceder a estas linhas junto das instituições financeiras ou de crédito, devendo cumprir os critérios definidos pelo PDR 2020 para as operações em causa.

Já as instituições financeiras ou de crédito “interessadas e elegíveis” têm até 27 de agosto para submeter a sua aplicação de interesse.

O Programa de Desenvolvimento Rural de Portugal foi aprovado na sequência da decisão da Comissão Europeia em dezembro de 2014 e visa o apoio às atividades do setor agrícola assente numa gestão eficiente dos recursos.

O artigo foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Comente este artigo
Anterior Produtores de pera rocha investem seis milhões em nova central fruteira
Próximo Mais de 9.500 hectares arderam em Vila de Rei e Mação. É aproximadamente a área de Lisboa

Artigos relacionados

Dossiers

Proposed EU budget unacceptable given the ambitions of the Union

Copa and Cogeca took note of and analysed the proposal on the future multiannual financial framework (MFF) tabled by the President of the […]

Internacional

El Pacto Verde Europeo no tendrá un efecto inmediato sobre la reforma de la PAC y deja el aire los límites de pesticidas

El pacto verde europeo presentado por la presidenta de la Comisión Europea, Ursula von der Leyen, el miércoles (11 de diciembre) evitó […]

Nacional

GNR identifica homem por crime de incêndio florestal. Queima estava autorizada

O Comando Territorial de Viseu da Guarda Nacional Republicana (GNR), através do Núcleo de Protecção Ambiental de Mangualde, no dia 12 de Julho, […]