NEC quer aumentar produção de tomate até 20% com agricultura de precisão

NEC quer aumentar produção de tomate até 20% com agricultura de precisão

[Fonte: Agricultura e Mar]

A NEC Corporation está a desenvolver, desde 2015, uma solução de análise em larga escala para o cultivo de tomate, que vem reforçar as soluções globais de tecnologias de informação e comunicação (TIC) desenvolvidas pela empresa. E garante que a produtividade das culturas pode aumentar até 20%. Tudo com base em sensores ligados aos sistemas de rega. Este Verão vai fazer um dia de campo para mostrar os resultados.

A solução da multinacional japonesa cria campos agrícolas virtuais baseados em dados meteorológicos, do solo e da vegetação obtidos através de sensores, satélites e drones, assim como outros dados relacionados com as actividades agrícolas, como a irrigação e o uso de fertilizantes. A solução permite, com esses dados, criar simulações de crescimento para esses campos virtuais, fornecendo recomendações personalizadas relativamente ao cultivo da terra, à estimativa de produção e à altura mais apropriada para efectuar a colheita, entre outras.

Actualmente, a empresa tem em curso três projectos piloto com produtores portugueses de tomate para indústria – um deles a Italagro, detida pelo grupo –, está a entrar na fase comercial da solução e quer aumentar o número de utilizadores. Para já está a iniciar um novo projecto com uma empresa espanhola, em Don Benito, perto de Badajoz.

“A área de agricultura de precisão vai ter um crescimento muito grande nos próximos anos”, diz o director-geral de vendas e marketing da NEC Portugal, João Paulo Fernandes, à Agricultura e Mar Actual, adiantando que é “um processo que reduz a quantidade dos químicos no solo, que mais tarde ou mais cedo vão parar aos rios”.

Optimização de água e fertilizantes

A solução da NEC permite o uso optimizado de água, fertilizante e agro-químicos, em conformidade com o crescimento das culturas e as condições atmosféricas, permitindo a maximização da produção. Para além disso, a solução permite optimizar a colheita em função da produção prevista e da melhor altura para a colheita, e auxilia ainda no funcionamento das unidades de transformação, através do controlo das épocas de plantio, optimizando assim a cadeia de valor da agricultura e da industria alimentar, como um todo.

“Com esta solução conseguimos saber as condições reais do terreno, comparar o modelo ideal da planta com o que se mede em tempo real no terreno”, salienta o director-geral de vendas e marketing da NEC Portugal, salientando que assim é possível dar recomendações ao produtor sobre o que falta, se água se fertilizante, o que for, para que se tenha o crescimento perfeito e conseguir a máxima produção. E, quando necessário, recolhemos uma amostra de azoto da planta para saber se precisa de mais fertilizante”.

João Paulo Fernandes diz que no ano passado “que foi um ano muito difícil, em termos meteorológicos, para a cultura do tomate, conseguimos aumentos de 10% na produtividade das culturas. Em anos normais conseguimos aumentos até 20%”.

Avanço para a cultura da batata

João Paulo Fernandes afirma que por enquanto a NEC Portugal se dedica apenas à cultura do tomate, “estamos a afinar tudo até ter a certeza de que está tudo a funcionar correctamente. Só depois expandimos para outras culturas.  Quando? Não há um timming definido, talvez mais  um ou dois anos”.

“Não se sabe qual a próxima cultura para que avançamos com esta solução, mas há uma que é óbvia, a da batata. Depois temos também os cereais e a cana do açúcar”, refere aquele responsável, adiantando que a NEC está já a olhar na aquacultura como uma indústria onde será possível adaptação daquela tecnologia.

Ainda no tomate, a NEC Portugal está a preparar um dia de campo, a realizar no fim de Agosto ou princípios de Setembro, onde vai mostrar os resultados da tecnologia. “Vamos cá ter de certeza os accionistas japoneses. A tecnologia é desenvolvida pela casa-mãe e os seus técnicos vêm a Porugal de dois em dois meses, para verem como tudo está a correr”, diz João Paulo Fernandes.

Este projecto está a ser também desenvolvido pela NEC Corporation na Califórnia, nos Estados Unidos, desde 2016, e também na Austrália.

Cooperação com a Kagome

Em colaboração com empresas internacionais na área da indústria alimentar, a NEC está a realizar testes com a sua solução para promover a sua comercialização. Como primeiro passo, a empresa assinou um acordo de cooperação com a Kagome Co para desenvolver tecnologia de cultivo para o processamento de tomates. Desde Março de 2015, as duas empresas têm realizado testes que utilizam esta solução em campos agrícolas em Portugal, pertencentes a uma subsidiária da Kagome.

Até ao momento, os resultados desses testes incluem a visualização dos níveis de saturação de água e de stress de nitrogénio em secções específicas da área cultivada, e análise das causas das diferenças de produção entre as várias parcelas dessa área; o desenvolvimento de métodos de cultivo optimizados; e a previsão, até um mês antes da colheita, da altura mais apropriada para efectuar a colheita e maximizar a produção.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

Receba este artigo na Newsletter do Agroportal

O artigo NEC quer aumentar produção de tomate até 20% com agricultura de precisão foi publicado originalmente em Agricultura e Mar

Anterior Luís Viera distinguido com o título de Optimus Conviva pela Federação Nacional das Confrarias Gastronómicas
Próximo União Europeia precisa de aproveitar o potencial das tecnologias de reutilização de águas residuais

Artigos relacionados

Nacional

Produção da silvicultura aumenta 4,2% em valor e 3,5% em volume em 2015, aponta INE

[Fonte: Observador]

A produção da silvicultura aumentou 4,2% em valor e 3,5% em volume em 2015, mantendo um crescimento que tem sido sobretudo dinamizado pela produção de cortiça, divulgou esta quarta-feira o INE.
Segundo as contas económicas da silvicultura relativas a 2015 do Instituto Nacional de Estatística (INE), […]

Nacional

Cotações – Suínos – Informação Semanal – 22 a 28 Maio 2017

[Fonte: Agricultura e Mar]
Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas
Registou-se um pequeno acréscimo das cotações médias nacionais do porco classe E e do porco classe S em relação à semana anterior, +1 cêntimo / Kg, em ambos os casos; […]

Nacional

Salvemos a casta Vital

[Fonte: Jornal De Negócios]

Em Portugal, não temos o hábito de juntar gente interessada e diversificada à volta de uma mesa para discutir livremente e sem a seriedade dos simpósios técnicos os defeitos e as virtudes de uma casta. E é […]