“Nas próximas 36 horas, o dispositivo não desarma”, diz Proteção Civil sobre fogos florestais

“Nas próximas 36 horas, o dispositivo não desarma”, diz Proteção Civil sobre fogos florestais

[Fonte: O Jornal Económico]

O comandante da Proteção Civil para a região Centro Norte , Pedro Nunes fez um novo ponto da situação à imprensa sobre os incêndios na região de Castelo Branco e garantiu que “no melhor dos cenários nas próximas 24h/36 horas o dispositivo não desarma”.

Pedro Nunes referiu que neste momento existe “um conjunto de meios pré-posicionados por todo o perímetro para melhoria, rescaldo e vigilância ativa para que caso exista algo a intervenção seja feita num curto espaço de tempo”, acrescentando que “os meios que nós temos neste teatro de operações, quer humanos, aéreos ou terrestres para já é o apropriado”.

Questionado sobre se existiram falhas do SIRESP, Pedro Nunes assumiu que a Proteção Civil tem “uma equipa em permanente monitorização com o SIRESP e não temos registo de nenhuma falha até ao momento”.

O responsável salientou que as autoridades vão “manter tudo como está ao nível da organização, do dispositivo terrestre, aéreo e de todas as entidades até acharmos necessário”, assumindo que não podia existir melhor equipa para realizar todo o trabalho no combate aos incêndios de Vila de Rei e Mação.

“Tudo o que de bom há em Portugal e com capacidade de trabalho aéreo, terrestre, técnico e análise está reunido neste teatro de operações. Mais não temos”, disse, frisando que “como era uma situação complexa fomos buscar tudo e todas as entidades, porque todos somos poucos para tentar resolver um problema tão complexo”.

Foi ainda feito um novo balanço sobre os feridos, que nesta altura desceu para 12, dos quais um em estado grave que se encontra internado no Hospital de São José, em Lisboa, desde o passado sábado.

Frentes de fogo de Vila de Rei e de Mação estão 90% dominadas

Comente este artigo

O artigo “Nas próximas 36 horas, o dispositivo não desarma”, diz Proteção Civil sobre fogos florestais foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Anterior Incêndios. Situação estabilizada em Vila de Rei e Mação mas Proteção Civil coloca “reservas” para esta tarde
Próximo Incêndios. Quercus lamenta baixa execução de Plano de Desenvolvimento Rural

Artigos relacionados

Nacional

Grandes reacendimentos em Vila de Rei e Sertã. Situação complicou-se nas últimas horas

[Fonte: Expresso]

Três grandes reacendimentos estão nesta altura a preocupar os bombeiros que combatem os incêndios de Sertã, Vila de Rei e Mação, onde se vive a pior situação. Os incêndios ativos desde sábado já causaram 20 feridos – oito bombeiros e 12 civis, […]

Sugeridas

Projecto Sereno – Midões

O Projecto Sereno – Midões é um projeto de angariação de ajudas, para melhorar as condições do dia-a-dia, das pessoas que ficaram com as vidas completamente destroçadas, pelos incêndios de 15 de Outubro 2017. Criado por 2 casais reuniram um grupo de amigos que colaboram em visitas às explorações das famílias atingidas pelos fogos e relatam histórias de arrepiar. […]

Nacional

Açores: Ilha de Santa Maria vai começar a produzir queijo de ovelha em 2019

O secretário Regional da Agricultura e Florestas dos Açores anunciou hoje, 9 de Outubro, em Santa Maria, que começará a ser produzido no próximo ano, nesta ilha, queijo a partir de leite de ovelha, depois de concluídas as obras na queijaria da ARCOA – Associação de Criadores de Ovinos e Caprinos, […]