Marcelo considera “prematuro” falar de responsabilidades em Pedrógão

Marcelo considera “prematuro” falar de responsabilidades em Pedrógão

[Fonte: Público]

O Presidente da República considerou esta quinta-feira “prematuro falar de responsabilidades” no incêndio de Junho em Pedrógão Grande, alertando que ainda decorre o trabalho do Ministério Público para apurar causas sobre o que aconteceu.

“Neste momento, é prematuro falar de responsabilidades apuradas ou de factos que apontem para responsabilidades. Vale a pena esperar e ver as conclusões a que chegam”, disse Marcelo Rebelo de Sousa, no Porto, no fim de uma cerimónia de imposição de insígnias nos Paços do Concelho.

O chefe de Estado foi questionado sobre uma notícia hoje avançada pela TSF, segundo a qual o plano municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios caducou há seis anos, segundo um parecer encomendado pela Ascendi, responsável pela operação e manutenção de infra-estruturas rodoviárias, que iliba a empresa de responsabilidades na limpeza da estrada onde morreram mais pessoas em Pedrógão.

“Essa matéria foi, por um lado, objecto de apreciação da comissão técnica independente. Por outro lado, decorre o trabalho do Ministério Público, mais direccionado para as responsabilidades jurídicas. Neste momento é prematuro falar de responsabilidades. Vale a pena esperar e ver as conclusões a que chegam”, vincou o Marcelo Rebelo de Sousa.

De acordo com a TSF, o parecer jurídico encomendado pela Ascendi para apurar as suas responsabilidades no incêndio de Pedrogão Grande desresponsabiliza a Ascendi e a EDP porque os planos municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Castanheira de Pera e de Pedrógão Grande não tinham sido aprovados.

Em causa está a Estrada Nacional 236, onde no incêndio de Junho houve mais de 40 vítimas.

Comente este artigo

O artigo Marcelo considera "prematuro" falar de responsabilidades em Pedrógão foi publicado originalmente em Público

Anterior Cotações do leilão 42/2017
Próximo Açores assina protocolo com Kairós para incentivar agricultura biológica

Artigos relacionados

Nacional

Desde o ano 2000, incêndios tiveram custos sociais de 6,6 mil milhões de euros

[Fonte: Público]

Há um gráfico que vale a pena ver com atenção no relatório da Comissão Técnica Independente ao incêndio de Pedrógão Grande. Está na página 192 e chama-se: “Custo social dos incêndios em Portugal entre 2000 e 2016”. […]

Últimas

Governo apoia agricultores afectados pelos fogos

[Fonte: ffl revista]

Tal como aconteceu com os agricultores afectados pelo grande incêndio de Pedrógão Grande, também os produtores que sofreram prejuízos com fogos noutras zonas do País, poderão receber apoios do Governo, reiterou o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.
Para isso, […]

Nacional

Formações sobre produção e colheita de cogumelos

[Fonte: Voz do Campo]
A equipa do CLDS 3G de Vila de Rei, em parceria com o Município, encontra-se a organizar as Formações Modulares Certificadas “Produção de Cogumelos Comestíveis e Silvestres” e “Colheitas de Cogumelos Silvestres”.
As formações, de nível II e com 25 horas de duração cada, […]