Marca Porco.PT tem 500 explorações aderentes, 45% do efectivo nacional

[Fonte: Agricultura e Mar]

A marca Porco.PT tem já como aderentes cerca de 500 explorações, representando um universo de cerca de 45% do efectivo nacional. Estão ainda aderentes 21 matadouros e salas de desmancha e ao nível da grande distribuição já aderiram os grupos Auchan, Mosqueteiros, Sonae e Jerónimo Martins.

Em entrevista à Store Magazine, o presidente da Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores (FPAS), Vítor Menino, diz que o resultado desta acção está a ser “bastante positivo” e que a distribuição tem aderido à marca Porco.PT.

Diz Vítor Menino que a procura “tem sido dentro das expectativas, tendo em conta que se trata de um produto que nunca foi testado em loja. Neste momento já se pode encontrar a marca em mais de 400 pontos de venda por todo o País e o feedback das entidades distribuidoras tem sido bastante positivo”.

Para o presidente da FPAS, “desde o dia 1 de Julho o crescimento da notoriedade da marca tem-se sentido pelo aumento exponencial dos pontos de venda aderentes e da quantidade de animais comercializados no âmbito do programa. Estamos, por isso, convictos que até ao final do ano de 2017, a procura absorverá toda a produção”.

Padrões de excelência

Os suinicultores criaram a marca Porco.PT para atribuir à carne de porco feita em Portugal que cumpra padrões de excelência e que deverá chegar às prateleiras dos supermercados no início do próximo ano.

“A carne já tem qualidade, mas é preciso elevar a qualidade para a excelência. Queremos que o suinicultor pense que o caminho é a diferenciação, para que quando uma pessoa provar aquela carne de porco se sinta guloso, pela palatabilidade, para que amanhã lhe apeteça outra vez”, disse João Correia, porta-voz do Gabinete de Crise dos Suinicultores, na altura do lançamento da marca.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

Receba este artigo na Newsletter do Agroportal

O artigo Marca Porco.PT tem 500 explorações aderentes, 45% do efectivo nacional foi publicado originalmente em Agricultura e Mar

Anterior Fitosíntese: o que plantámos em 2017 e o que poderemos colher em 2018.
Próximo Intercun invertirá casi 2 millones en 3 años para promocionar la carne de conejo

Artigos relacionados

Nacional

Governo vai ‘dispensar’ 3 M€ para apoiar produtores pecuários afetados pela escassez de água

[Fonte: Vida Rural] O Ministério da Agricultura emitiu esta quinta-feira (20 de outubro) um comunicado em que revela que vai adotar “com caráter de urgência” um conjunto de medidas para apoiar os produtores pecuários das zonas mais afetadas pela escassez de água no Baixo Alentejo. […]

Nacional

Vindimas no Dão antecipadas três a quatro semanas

[Fonte: Gazeta Rural]

As vindimas na Região Demarcada do Dão estão a ser antecipadas “três a quatro semanas”, esperando-se um vinho de boa qualidade se os produtores ficarem atentos à maturação das uvas, disse esta terça-feira à agência Lusa o enólogo Carlos Silva. […]

Últimas

Ministro do Ambiente garante que Estado não se demite das funções nas áreas protegidas


Lisboa, 21 fev (Lusa) — O ministro do Ambiente garantiu hoje que o Estado não se demite das suas funções na gestão das áreas protegidas, explicando que vai envolver as autarquias, mas a atividade licenciadora fica no Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. […]