Madeira reforça vigilância com sistema de detecção remota de incêndios florestais

Madeira reforça vigilância com sistema de detecção remota de incêndios florestais

[Fonte: O Jornal Económico]

A Madeira instalou um sistema de detecção de incêndios florestais, no valor de 700 mil euros, com o intuito de complementar as funções do Serviço de Protecção Civil e do Instituto de Florestas, anunciou o executivo madeirense.

“O nosso sistema baseia-se na vigilância, temos torres de vigilância e patrulhamento móvel no âmbito do POCIF (Plano Operacional de Combate a Incêndio Florestais) e este é um projeto-piloto que vem complementar todo o trabalho de prevenção e deteção de incêndios que já é feito pela Proteção Civil e pelo Instituto das Florestas”, disse o presidente do Governo Regional.

Miguel Albuquerque fez estas declarações durante a apresentação do protótipo do novo sistema, uma torre equipada com câmaras de controlo remoto, instalada na zona do Paredão, nas serras do concelho do Funchal.

“A ideia é avançar com a colocação de mais cinco câmaras para cobrir cerca de 50% da área florestal da Madeira, nas zonas mais propícias à ignição de incêndios e com capacidade para abarcar áreas vastas”, explicou Miguel Albuquerque, vincando que se trata de um “sistema fiável”.

Os equipamentos permitem detetar fogos com cerca de dois metros quadrados a cinco quilómetros de distância, sendo que as câmaras têm também capacidade para fazer ‘zoom’ de áreas a dez quilómetros de distância.

Numa demonstração efetuada no local, o equipamento de georreferenciação detetou em apenas três minutos um pequeno fogo localizado a três quilómetros, já nas serras do concelho de Câmara de Lobos, a oeste do Funchal.

Miguel Albuquerque disse que o sistema deverá estar totalmente montado dentro de seis meses.

O projeto é liderado pela Secretaria Regional dos Equipamentos e Infraestruturas, através do Laboratório Regional de Engenharia Civil, e conta com financiamento comunitário via POSEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Anterior CAP promove debate com os candidatos ao Parlamento Europeu
Próximo Vuelven las subidas en las cotizaciones de las almendras

Artigos relacionados

Nacional

Financiamento do Green Deal preocupa eurodeputados portugueses

Eurodeputados portugueses manifestam preocupação em relação à forma como o Green Deal e as políticas que lhe estão associadas vão ser financiadas. […]

Últimas

Syngenta reforça aposta na agricultura sustentável

A Syngenta firmou, recentemente, protocolos de colaboração com a Elaia e o Grupo Ortigão Costa com o objetivo de promover as boas práticas agrícolas e a sustentabilidade ambiental nas culturas do olival, […]

Últimas

Lince-ibérico pode deixar de ser espécie ameaçada dentro de décadas

O lince-ibérico passou de criticamente ameaçado para ameaçado de extinção, poderá ser espécie vulnerável em poucos anos e perder o estatuto de ameaçado dentro de décadas, […]