Madeira: candidata do CDS quer defender na UE regime específico para agricultura em poios

Madeira: candidata do CDS quer defender na UE regime específico para agricultura em poios

A candidata do CDS-PP Madeira às eleições europeias, Margarida Pocinho, assumiu, na passada quinta-feira, o compromisso de defender na União Europeia um regime específico para a agricultura em poios, “para valorizar a paisagem e um património único com impactos positivos no turismo, produção agrícula e aumento do rendimento dos agricultores”.

Neste sentido, Margarida Pocinho considera “essencial” um regime específico, com ajudas europeias, tendo em conta as dificuldades resultantes da orografia e os custos acrescidos para voltar a fazer agricultura em poios. “Isto está ligado diretamente ao turismo”, explicou, acrescentando que o turista que vem à Região já não quer apenas sol, praia e mar, quer experiências ligadas à paisagem e provar os produtos que podem ser produzidos nos poios. “Isto preocupa-me porque não estamos a valorizar a nossa paisagem nem o trabalho dos nossos agricultores, é por isso que os jovens fogem da agricultura”, completou a candidata do CDS.

A candidata olha para os poios como um “manancial de oportunidades”, e, por isso, diz que é preciso “inovar, desenvolver projetos em parceria, utilizar as novas tecnologias, a ciência e a investigação” e colocar a evolução na recuperação “deste património madeirense”.

Margarida Pocinho afirma que não chega dizer que a agricultura é importante e é preciso novas ideias, apresentar propostas concretas e aproveitar bem os fundos comunitários. A candidata do CDS lembrou que ao nível da execução do PRODERAM (Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira), “a Madeira está em último lugar”, com uma taxa de 36,1%, contra os 54,3% dos Açores e 52,5% do continente.

A candidata ao Parlamento Europeu esteve em Câmara de Lobos, onde contactou produtores de batata e de morangos, e visitou a zona da Caldeira. Margarida Pocinho aproveitou o momento para prestar homenagem aos agricultores, considerando-os “jardineiros da paisagem madeirense”.

Margarida Pocinho aproveitou para recordar o Congresso Mundial sobre Territórios em Socalcos, que decorreu recentemente na ilha canária de La Gomera. “Esse congresso mundial de Canárias, inspirou-nos para um dos maiores objectivos que a lista do CDS às eleições europeias tem para apresentar em Bruxelas, que é centrar o debate num regime específico para preservar e desenvolver os poios, tendo por base dois objetivos: apoiar os agricultores madeirenses e revalorizar a nossa paisagem”, concluiu a candidata.

O artigo foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Comente este artigo
Anterior “Oportunidades da Interioridade”: JE e Crédito Agricola promovem observatório esta sexta-feira
Próximo APROLEP levou propostas ao Ministério da Agricultura para vencer a crise do leite em Portugal

Artigos relacionados

Nacional

Comércio justo: Quando os rótulos servem para denunciar injustiças do mercado

Poderá uma camisola que não foi feita por trabalho escravo parecer-lhe mais bonita? E um pedaço de chocolate será mais apetitoso se souber que não está […]

Nacional

Mercado de plantas vivas e flores com perdas de 4,12 mil milhões de euros em março e abril na UE

As perdas para o setor de plantas vivas e flores, decorrentes da pandemia de covid-19, atingiram um total estimado de 4,12 mil milhões de euros em março e abril de 2020 em 17 países da União Europeia (UE), […]

Últimas

Bayer e Alibaba juntam-se para levar blockchain à agricultura

A Bayer Crop Science e a Ant Financial, braço financeiro do gigante chinês Alibaba, firmaram uma parceria para desenvolver soluções de blockchain para aumentar a eficiência e os rendimentos no setor agrícola. […]