Junho classificou-se como muito frio em Portugal continental

Junho classificou-se como muito frio em Portugal continental

Junho classificou-se como muito frio em Portugal continental

Percentagem de água no solo2019-07-03 (IPMA)

O mês de Junho de 2019 foi o 13º mais frio desde 1931 e o mais frio desde 2000. O valor médio da temperatura média do ar, 18.19 °C, foi inferior ao normal com um desvio de -1.23°C. O valor médio da temperatura mínima do ar, 11.66°C, foi 1.84°C inferior ao valor normal, sendo ao 4º valor mais baixo desde 1931 (mais baixo em 1972, 10.89 °C). O valor médio da temperatura máxima do ar, 24.73°C, foi 0.63°C inferior ao valor normal, sendo o 2º valor mais baixo desde 2000 (mais baixo em 2007). Valores da temperatura máxima, neste período, inferiores aos registados ocorreram em cerca de 30% dos anos, desde 1931.
 
Durante o mês de junho destacam-se os seguintes períodos:

  • 1 a 3 de junho: valores de temperatura do ar muito superiores ao valor normal, em particular, da temperatura máxima, sendo de salientar o dia 1 com um valor médio em Portugal continental de 33.3°C, +8.0°C em relação ao valor normal;
  • 4 a 15 de junho: valores de temperatura do ar (máxima, média e mínima) inferiores ao valor normal, sendo de salientar os dias 5 a 7 com valores da temperatura máxima muito inferiores ao normal (dia 6 com um desvio de -5.6 °C); destacam-se ainda os valores de temperatura mínima do ar entre 4 e 18 de junho, com inferiores ao valor normal;
  • 28 a 30: valores de temperatura do ar superiores ao normal, em especial a temperatura máxima do ar.

O valor médio da quantidade de precipitação em junho, 23.8 mm, corresponde a cerca de 74 % do valor normal mensal. Regionalmente destaca-se o Sul com valores inferiores ao normal, em particular o interior do Baixo Alentejo e a região do Algarve.

No final do mês verificou-se, em relação ao final de maio, uma diminuição significativa dos valores de percentagem de água no solo no Litoral Norte e Centro, mantendo-se nas regiões do interior Norte e Centro, na região de Vale do Tejo, no Alentejo e no Algarve com valores inferiores a 20% e que, em alguns locais, são muito próximos do ponto de emurchecimento permanente.

De acordo com o índice PDSI, em relação ao final de maio, mantém-se a situação de seca meteorológica no final de junho, verificando-se um ligeiro aumento da área em seca extrema na região Sul.

Assim, no final de junho, a distribuição percentual do índice de seca no território é a seguinte:

  • 5.9% na classe de seca extrema;
  • 28.0% na classe de seca severa;
  • 22.7% na classe de seca moderada;
  • 40.9% na classe de seca fraca;
  • 1.9% na classe normal;
  • 0.6% na classe chuva fraca.

Siga-nos no:

O artigo foi publicado originalmente em IPMA.

Veja a previsão do tempo e a melhor altura para pulverizar na nossa página de Meteorologia powered by Syngenta.

Comente este artigo
Anterior Recolha de leite de vaca e fabrico de produtos lácteos registam queda em Abril
Próximo Abril regista maior volume de produção de frango e ovos de galinha

Artigos relacionados

Dossiers

Estabilidad en vacuno a la espera de una exportación más activa

Nueva semana sin cambios en el mercado de las canales de vacuno, donde predominaron las repeticiones, en un sector donde los productores estan preocupados por el incremento de las materias primas destinadas a la alimentación animal, […]

Cotações PT

Cotações – Produtos Hortícolas – 24 a 30 de maio 2021

Abóbora – Na região Norte, na área de mercado Entre Douro e Minho, registou-se uma descida das cotações devido ao aumento da oferta […]

Ofertas

Oferta de emprego – Técnico Superior – Engenheiro Agrónomo – Valpaços

Funções inerentes ao conteúdo funcional da categoria de técnico superior da carreira geral de técnico superior — Funções consultivas, de estudo, planeamento, programação, avaliação […]