Indústria replantou 5700 hectares em 2019

Indústria replantou 5700 hectares em 2019

O esforço de plantação desenvolvido pela indústria papeleira nacional cifrou-se em 5 661 hectares de reflorestação em 2019, segundo números avançados pelo Boletim Estatístico da CELPA, recentemente divulgado. As empresas associadas da CELPA – Associação da Indústria Papeleira são responsáveis pela gestão direta de 190,3 mil hectares, em propriedades próprias e arrendadas, do território nacional, dos quais 162,4 mil hectares são ocupados com floresta, o que representa cerca de 5% da floresta portuguesa.

A floresta replantada pela indústria da pasta e do papel foi maioritariamente de eucalipto em áreas que já eram ocupadas anteriormente por esta espécie, como determina a lei. No entanto, houve também a reflorestação de sobreiro e outras espécies, como refere o Boletim da CELPA. No total, a indústria gere 17,2% do eucaliptal nacional, 1% do montado de sobro, 0,5% do pinhal-bravo e 0,6% de outras espécies da floresta portuguesa.

O esforço da indústria por uma melhor floresta manifesta-se também nas ações de prevenção, que no ano passado incidiu sobre uma área de 40,8 mil hectares, cerca de 23% da área de floresta gerida pelas associadas da CELPA, representando um encargo de 4,5 milhões de euros.

As ações de silvicultura para prevenção de incêndios consistem no controlo da vegetação, limpeza de caminhos e aceiros, assim como na manutenção e construção de vias de acesso e zonas divisórias, o que reduz a perigosidade do fogo. Em 2019, por exemplo, arderam apenas 224 hectares, ou seja, 0,1% do total da área florestal gerida pela indústria.

Números económicos do setor

Com uma atividade florestal 100% certificada pelos sistemas FSC@ e PEFCTM, o setor industrial da pasta e do papel gerou 2,79 mil milhões de euros em vendas em 2019, o que correspondeu a 1,3% do PIB. As exportações de pasta, papel e cartão representaram 4,35% do total das exportações nacionais de bens e o saldo da balança comercial dos mesmos produtos representaram 0,65% do PIB (1,38 mil milhões de euros), a preços correntes.

A montante e a jusante, bem como nas atividades desenvolvidas em torno de cada centro fabril, as empresas associadas da CELPA são responsáveis por mais de 4 400 postos de trabalho diretos, sendo os indiretos e induzidos de largas dezenas de milhar.


O artigo foi publicado originalmente em Produtores Florestais.

Comente este artigo
Anterior Live-stream: A Aplicação da PAC em Portugal em 2021 e 2022
Próximo Madeira dispõe de 9 ME para reflorestar e combater alterações climáticas em 2021

Artigos relacionados

Últimas

Incêndios: Governo prolonga situação de alerta

O Despacho n.º 7284/2020 prolonga por mais dois dias, a situação de alerta, para todos os distritos de Portugal continental. Vigora até às 23h59 de 21 de […]

Sugeridas

Bagaço da azeitona, borras da vinificação, fruta de refugo. Conheça os subprodutos da agricultura e saiba como os valorizar

A actividade agrícola produz uma série de subprodutos que, à primeira vista, parece não servir para nada. Mas não é assim. O óleo extraído do bagaço da azeitona pode ser utilizado na alimentação animal e como fertilizante e o caroço da […]

Últimas

Oferta de emprego – Marketing – Engenheiro Agrónomo – Vila Franca de Xira

A ADP Fertilizantes, com sede em Alverca do Ribatejo, pretende recrutar um licenciado em Marketing ou Engenharia Agronómica para integrar a área de Marketing da Direcção Comercial: […]