Governo reconhece como catástrofe natural incêndios de Vila de Rei e Mação

Governo reconhece como catástrofe natural incêndios de Vila de Rei e Mação

[Fonte: O Jornal Económico]

Num despacho hoje publicado em Diário da República, o Governo refere que os incêndios florestais que deflagraram entre 20 e 23 de julho, “de enormes e devastadoras proporções, provocaram vastos danos e prejuízos, com particular incidência em determinadas freguesias dos municípios de Vila de Rei e Mação”, nos distritos de Castelo Branco e Santarém, respetivamente.

Desta forma, refere o despacho, o Governo estabelece igualmente um auxílio, através do Programa de Desenvolvimento Rural do Continente (PDR 2020), à reconstituição ou reposição do potencial produtivo das explorações agrícolas danificadas, à semelhança do que já tinha feito anteriormente com a tempestade Leslie que atingiu a zona centro, particularmente a Figueira da Foz, em outubro de 2018.

Os apoios concedidos no âmbito desta operação visam ajudar a reconstituição ou reposição das condições de produção das explorações agrícolas afetadas por calamidades naturais, acidentes climáticos adversos ou eventos catastróficos por forma a criar condições para o seu regresso a uma atividade normal.

As freguesias mais atingidas pelas chamas foram as da Fundada e de São João do Peso, do município de Vila de Rei, e a de Amêndoa e de Cardigos, no município de Mação.

Só são elegíveis ao apoio referido as explorações cujos danos sofridos ultrapassem 30% do seu potencial agrícola.

De acordo com o despacho hoje publicado, os níveis de apoio a conceder repartem-se pelos seguintes escalões: 100% da despesa elegível igual ou inferior até cinco mil euros, 85% para prejuízos entre os cinco mil euros e os cinquenta mil euros e 50% entre os 50 mil euros e os 800 mil euros.

O incêndio que deflagrou em 20 de julho em Vila de Rei e que se propagou ao concelho de Mação, foi dado como dominado em 23 de julho, tendo provocado 17 feridos transportados ao hospital, de acordo com as autoridades.

Comente este artigo

O artigo foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Anterior Nuevos avances tecnológicos en la base de datos geográfica, clave para el control de las ayudas de la PAC
Próximo Defesa da Floresta Contra Incêndios: Oleiros faz acções de gestão de combustível

Artigos relacionados

Últimas

Temperaturas vão chegar aos 40º. Protecção civil alerta para risco de incêndios rurais

A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) alerta para o aumento dos índices de risco de incêndio durante o dia de amanhã, […]

Nacional

ANCOSE identifica necessidades mais urgentes para os Agricultores da zona de Oliveira do Hospital

Após as recolhas de fim-de-semana, comunicamos que necessitamos do seguinte material:

 

Comente este artigo
#wpdevar_comment_5 span,#wpdevar_comment_5 iframe{width:100% !important;} […]

Notícias inovação

O robô que vai tratar das vinhas nas encostas do douro

[Fonte: Diário de Notícias]
Para já, o Romovi será uma máquina desenvolvida no INESC-TEC para monitorização da vinha, […]