Governo avança com taxa sobre as batatas fritas

[Fonte: Jornal De Negócios]

Bolachas e biscoitos; alimentos que integrem flocos de cereais e cereais prensados; e batatas fritas ou desidratadas. São estes os produtos que, desde que tenham um teor de sal igual ou superior a um grama por cada 100 gramas, passarão a ser tributados por uma nova taxa que o Governo quer introduzir com o Orçamento do Estado para 2018.

De acordo com a versão preliminar do documento, a que o Negócios teve acesso, para o cálculo do imposto a pagar será tido em conta o peso do produto já acabado, sobre o qual incidirá uma taxa de 0,80 cêntimos por cada quilograma.

Os produtos que sejam adquiridos noutro Estado membro da União Europeia e que sejam importados estarão também sujeitos a imposto em Portugal, a menos que se esteja perante uma aquisição para uso pessoal e se forem transportados pelo próprio consumidor.

A taxa sobre os produtos com elevado teor de sal é uma bandeira do ministro da Saúde. Adalberto Campos Fernandes considera que é uma medida de protecção da saúde pública. Em Junho, numa entrevista à Lusa, o governante falava em “dar um passo inovador” no sentido de penalizar a chamada “junk food”, prejudicial à saúde e usada sobretudo pelas camadas mais pobres da população.

Como o Negócios adiantou, a introdução desta taxa na proposta de OE para 2018 chegou a estar tremida, uma vez que o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes seria de opinião de que a criação de um imposto de raiz, como agora se pretende fazer, exigia um trabalho prévio para o qual não houvera ainda tempo suficiente.

A medida acaba mesmo por avançar e, segundo a versão preliminar da proposta de OE, a ideia é aplicar as mesmas regras que já existem para as bebidas não alcoólicas em matéria de produção e armazenagem de produtos e, posteriormente, de circulação. 

(notícia actualizada às 18:40)

Comente este artigo

O artigo Governo avança com taxa sobre as batatas fritas foi publicado originalmente em Jornal De Negócios

Anterior Annonces d'Emmanuel Macron Confédération paysanne : « Le cap est donné, traduisons-le en actes »
Próximo O Conselho de Administração é um excelente órgão de gestão para a empresa familiar

Artigos relacionados

Sugeridas

Governo “vai mesmo avançar” com cadastro florestal e investir nos sapadores

[Fonte: Jornal De Negócios]

“O cadastro vai mesmo ser feito”, afirmou António Costa, no concelho de Oliveira do Hospital, na cerimónia de apresentação de 20 novas equipas de sapadores florestais, em que também foi assinalado o 10º aniversário da criação da primeira Zona de Intervenção Florestal (ZIF) do país, […]

Últimas

Incêndios: meios aéreos extraordinários terão custado até 5,4 milhões de euros

[Fonte: Jornal económico]

O Governo contratou extraordinariamente o aluguer de helicópteros e aviões anfíbios, assim que terminaram os contratos de aluguer de meios aéreos privados para combate aos incêndios, a partir de 15 de outubro.
Os contratos excepcionais de aluguer de meios de combate aéreos, […]

Nacional

Conversa Capital com Eduardo Oliveira e Sousa

[Fonte: RTP notícias]
Estratégia
O novo presidente da CAP pede que a agricultura seja considerada como um setor estratégico para o pais.
Na primeira entrevista desde que assumiu o cargo no dia 19 de Abril, Eduardo de Oliveira e Sousa, refere que “o setor precisa de sentir que há uma estratégia para o pais definida de cima a abaixo que transmite confiança e orientação”. […]