Fundo de apoio para áreas afetadas pelos incêndios irá ter verbas públicas e privadas

Lisboa, 22 jun (Lusa) — O fundo de apoio à revitalização das áreas afetadas pelos incêndios nos concelhos de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera e Figueiró dos Vinhos, hoje aprovado, irá agregar verbas públicas e doações privadas, disse à Lusa fonte do Governo.

A mesma fonte esclareceu que o fundo irá agregar “dinheiros públicos e pretende também agregar outros fundos privados, como por exemplo contas solidárias ou donativos em bens e espécies, que depois serão utilizados na reconstrução e no equipamento de casas”.

O fundo terá uma entidade gestora, constituída com representantes dos Ministérios do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, das Finanças e do Planeamento e das Infraestruturas, mas “as autarquias terão um papel importante na sua aplicação”, elencou.

Também há diversas ofertas de países estrangeiros e de comunidades portuguesas no mundo que estão a ser articuladas pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, que aguarda pelo levantamento das necessidades, e também que sejam clarificados os termos de funcionamento do fundo.

“Podem haver instituições que estão a fazer recolhas de donativos ou bens, que não os queriam aplicar no fundo e que podem atribui-los a algumas instituições locais ou com finalidades específicas”, especificou a fonte, salientando que “os donativos podem não integrar necessariamente o fundo criado”.

A mesma fonte destacou que, “desde hoje e até ao final da próxima semana”, estão no terreno técnicos de diferentes serviços da administração pública “do Ministério das Infraestruturas, da Segurança Social, do MAI, do Ambiente, Agricultura e da Economia” para fazer o levantamento de todos os danos dos incêndios em Castanheira de Pera, Pedrógão Grande e Figueiró dos Vinhos.

O objetivo “é fazer uma estimativa dos encargos para reparação dos danos e retoma de alguma normalidade” destas populações, disse.

O ministro do Planeamento anunciou quarta-feira a criação de um fundo financeiro a partir da solidariedade dos portugueses para apoiar a reconstrução das habitações e da vida das pessoas afetadas pelo incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande.

O incêndio que deflagrou no sábado naquele concelho do distrito de Leiria, provocou 64 mortos, mais de 200 feridos e destruiu totalmente cerca de 20 habitações e afetou uma centena de postos de trabalhos, segundo os prejuízos provisórios avançados hoje pelo Governo.

Na conferência de imprensa realizada após o Conselho de Ministros, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas adiantou que em cerca de metade do concelho de Pedrógão Grande foram identificadas “duas dezenas de habitações permanentes profundamente afetadas em que as pessoas não podiam residir”, além de terem sido afetadas “muitas mais habitações não permanentes”, anexos agrícolas e outro tipo de explorações.

RCS (CAYC/JLS) // ARA

Lusa/Fim

O post Fundo de apoio para áreas afetadas pelos incêndios irá ter verbas públicas e privadas aparece primeiro no REDATOR.

Comente este artigo
Anterior Fundo de apoio para áreas afetadas irá ter verbas públicas e privadas
Próximo Jerónimo (PCP) critica “varinha mágica” da “Reforma da Floresta”

Artigos relacionados

Nacional

Portugal 2020 injetou, por semana, 50 milhões de euros na economia

[Fonte: ECO]

A cada semana da atual legislatura (180 semanas), o Portugal 2020 injetou 50 milhões de euros na economia. A contabilização foi feita pelo ministro do Planeamento no encerramento da Mostra Portugal 2020. Uma iniciativa que pretendeu demonstrar os casos concretos em que os fundos europeus são usados, […]

Últimas

III Conferência iPlanta vai ser em Portugal – de 27 de fevereiro a 1 de março

[Fonte: Gazeta Rural]

O CiB – Centro de Informação de Biotecnologia) e o ITQB NOVA estão a organizar a 3ª conferência anual iPlanta, que se realizará entre 27 de fevereiro e 1 de março no Auditório do ITQB NOVA, em Oeiras, […]

Dossiers

Contratos de muito curta duração chegam a todos os sectores

[Fonte: Público] O PS e o PSD uniram-se e com a ajuda do CDS aprovaram a medida. Propostas do PS para suavizar a proposta do Governo foram chumbadas.

O PS e o PSD uniram-se e com a ajuda do CDS (que se absteve) aprovaram, […]