Feronomas alternativas aos pesticidas valem Prémio da UE para Mulheres Inovadoras

[Fonte: Agricultura e Mar]

Irina Borodina, da Lituânia, co-fundadora da empresa de biotecnologia BioPhero, que produz feromonas como alternativa aos pesticidas, foi uma das vencedoras do Prémio da UE para Mulheres Inovadoras.

O anúncio das vencedoras foi feito ontem 16 de Maio, em Paris, pelo Comissário Europeu de Pesquisa, Ciência e Inovação, Carlos Moedas. O prémio tem um valor total de 350 mil euros.

Horizonte 2020

O prémio é financiado ao abrigo do programa Horizonte 2020, o programa de investigação e inovação da União Europeia (UE). As vencedoras fundaram uma empresa de sucesso com base nas suas ideias inovadoras.

O Comissário Carlos Moedas disse estar “honrado em compartilhar este momento de reconhecimento com inovadoras surpreendentes. Elas mostram o talento ilimitado presente na Europa e a importância das mulheres empresárias. Espero que com este prémio, as nossas vencedoras continuem a inspirar muitas outras mulheres para criarem negócios inovadores”.

As vencedoras

Três vencedoras vão receber cada uma 100 mil euros. Além de Irina Borodina, ganharam este prémio Martine Caroff, de França, fundadora de duas empresas de biotecnologia, a LPS-BioSciences e a Hephaistos-Pharma, activas na área de diagnóstico in vitro, dispositivos médicos e imunoterapia; e Shimrit Perkol-Finkel, de Israel, co-fundadora da empresa ECOncrete Tech , que desenvolve soluções ambientais que aumentam o valor biológico e ecológico das infra-estruturas urbanas, costeiras e marinhas.

A quarta vencedora receberá 50.000 euros. Trata-se de Michela Puddu, da Itália, co-fundadora da empresa Haelixa, que utiliza o rastreamento baseado em DNA para garantir cadeias de fornecimento com boas éticas para o consumidor.

O objectivo do Prémio da UE para Mulheres Inovadoras é sensibilizar a opinião pública para a necessidade de mais inovação e mais mulheres empresárias, para reconhecer o sucesso das mulheres na inovação e criar modelos de referência fortes.

A BioPhero

A BioPhero foi fundada por Irina Borodina e Kristian Ebbensgaard e é pioneira no desenvolvimento de feromonas de insectos, de base biológica e de baixo custo, para o controlo de pragas na agricultura.

O objectivo da empresa é liderar a transição global para uma agricultura sustentável, onde produtos seguros baseados em feromonas se tornam o principal método de controlo de pragas.

As feromonas são produzidos a partir de matérias-primas básicas, numa única etapa de fermentação, usando leveduras, num processo semelhante ao da fabricação de cerveja.

“Historicamente, o custo da produção de feromonas tem sido a maior barreira à adopção destas soluções seguras e ambientalmente correctas. Agora que superámos essa barreira, as tecnologias de feromonas podem ser fornecidas ao agricultor com o mesmo custo que os insecticidas convencionais”, garantem os fundadores da BioPhero.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo Feronomas alternativas aos pesticidas valem Prémio da UE para Mulheres Inovadoras foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior Los trabajos sobre la futura PAC podrían reanudarse a finales de julio
Próximo AICEP: Prémio Melhor Investimento atribuído à Simoldes Plásticos

Artigos relacionados

Sugeridas

Capoulas Santos está com o “coração destroçado” mas de “consciência tranquila”

[Fonte: Sic Notícias]
O ministro da Agricultura não assume responsabilidades políticas neste caso. Capoulas Santos diz que está com o “coração destroçado” mas “de consciência tranquila”.
Clique aquipara ver as declarações.

Comente este artigo
#wpdevar_comment_4 span,#wpdevar_comment_4 iframe{width:100% !important;} […]

Últimas

Presidente da República inaugura Feira Nacional de Agricultura

[Fonte: Gazeta Rural]

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, inaugura este sábado, 8 de junho, pelas 12h00, a 56ª Feira Nacional de Agricultura / 66ª Feira do Ribatejo, evento que decorre até dia 16, no Centro Nacional de Exposições, […]

Últimas

PJ diz que não há mão criminosa no fogo de Monchique

[Fonte: Rádio Renascença]

A Polícia Judiciária garantiu esta quarta-feira que a causa do incêndio de Monchique, em 2018, “foi determinada, estando esclarecida, quer pelas diligências investigatórias desenvolvidas, quer pelas conclusões do Laboratório de Polícia Científica”, refutando um relatório do Observatório Técnico Independente. […]