Faceco recebe 2.º Colóquio Hortofrutícola

Faceco recebe 2.º Colóquio Hortofrutícola

[Fonte: Voz do Campo]

A Lusomorango promove o 2.º Colóquio Hortofrutícola FACECO que se realiza no auditório do Crédito Agrícola de São Teotónio (Odemira), no próximo dia 20 de julho.

Está assegurada a presença de prestigiados especialistas internacionais para partilharem a realidade dos programas operacionais noutros estados membros bem como e as tendências de mercado para os próximos anos.

Os desafios no perímetro de rega do Mira, a responsabilidade social e a importância do investimento estrangeiro na região são temas que também fazem parte deste dia de trabalho.

Comente este artigo

O artigo Faceco recebe 2.º Colóquio Hortofrutícola foi publicado originalmente em Voz do Campo

Anterior O aroma do Douro está no novo Azeite da Quinta do Portal
Próximo Granizo faz estragos na agricultura de Vila Pouca de Aguiar. Ministério faz avaliação

Artigos relacionados

Últimas

Gran Cruz lança vinho centenário para comemorar 130 anos

[Fonte: Dinheiro Vivo – empresas]
A Gran Cruz, companhia líder no setor do vinho do Porto, está a comemorar os seus 130 anos e criou uma edição limitada comemorativa. Um tawny muito velho, que envelheceu mais de 100 anos em pipas de carvalho, […]

Últimas

Dimensão média das explorações agrícolas cresce 0,3 hectares em três anos

[Fonte: Agricultura e Mar]
A estrutura das explorações agrícolas continua a evoluir positivamente. Desde 2013, a dimensão média das explorações agrícolas aumentou 0,3 hectares de Superfície Agrícola Utilizada (SAU), para os 14,1 hectares em 2016. A dimensão económica por exploração cresceu 2,8 mil euros de Valor de Produção Padrão Total (VPPT), […]

Nacional

Pedro Pereira Gonçalves: “Portugal tem vinhos ótimos, mas não chega para os investidores”

[Fonte: Jornal económico]

Como é que se investe em vinho?Pode tomar duas proporções. Existe o investimento em garrafas de vinho, que aqui em Portugal não tem grande importância, apesar de já existirem algumas empresas especializadas. Lá fora, tem mais importância, mas em Portugal não temos vinhos de referência mundial. […]