Estudo da Fenareg: são necessários 1.700 M€ de investimento no regadio até 2027

[Fonte: Agricultura e Mar]

Estudo dos regantes vai ser apresentado aos candidatos portugueses ao Parlamento Europeu, estimando que serão necessários 1.700 milhões de euros de investimento no sector do regadio em Portugal até 2027.

A Fenareg — Federação Nacional de Regantes de Portugal diz que as futuras políticas europeias de apoio ao investimento em regadio devem “incentivar os agricultores a atingir metas ainda mais ambiciosas de eficiência do uso da água e não centrar os esforços no “corte cego” do uso da água em agricultura”.

Para a Federação presidida por José Núncio, num momento em que se discute o futuro da Política Agrícola Comum (PAC) e se aproximam as eleições para o Parlamento Europeu, “os países do Sul da Europa devem concertar posições para defender o futuro da agricultura de regadio na União Europeia, essencial à produção de alimentos a preços competitivos, à fixação das populações no território e à protecção do Ambiente”.

Produtividade da água na agricultura aumentou 70%

“Por exemplo, em Portugal a produtividade da água na agricultura aumentou 70% nas últimas décadas, graças à utilização de novas tecnologias de rega e à modernização das infra-estruturas de regadio, sendo crucial que a PAC continue a apoiar a agricultura de regadio rumo à eficiência do uso da água e da energia”, acrescentam os responsáveis pela Fenareg.

A Federação defende, por isso, que a PAC para o período 2021-2027, e em concreto os apoios do FEADER, devem ser pautados pelos seguintes critérios:

  • Apoiar investimentos com base no aumento da produtividade económica da água (ou seja produzir mais kg de determinada cultura agrícola com o mesmo volume de água) e não com base na poupança de água obtida, conforme defende a actual proposta da Comissão Europeia. Esta exige aos agricultores que reduzam o volume de água de rega para pelo menos 50% do potencial de poupança, o que pode originar quebras da produção agrícola.
  • Apoiar investimentos que garantam o aumento dos níveis de eficiência do uso da água e não uma redução nos volumes de água utilizados. Esta restrição proposta pela CE limita o acesso aos apoios para modernização de Aproveitamentos Hidroagrícolas e para construção de novos empreendimentos de regadio, ambos essenciais ao desenvolvimento do regadio em Portugal e no Sul da Europa.
  • Considerar a eficiência do binómio água-energia, uma vez que os sistemas de rega de precisão são mais eficientes no consumo de água, mas requerem maior consumo de energia.

Estudo apresentado aos candidatos às europeias

Salienta a Federação Nacional de Regantes de Portugal que estas medidas estão contempladas num estudo abrangente que a Fenareg encomendou, visando dar o seu contributo para a definição de uma Estratégia Nacional para o Regadio em Portugal.

O documento vai ser apresentado em breve aos candidatos portugueses ao Parlamento Europeu, estimando que serão necessários 1.700 milhões de euros de investimento no sector do regadio em Portugal até 2027.

Associação de utilidade pública

Fenareg é uma associação de utilidade pública, sem fins lucrativos, de âmbito nacional, fundada em 2005, que agrupa entidades dedicadas à gestão da água para rega, tanto superficial como subterrânea, com o objectivo de unir esforços e vontades na defesa dos seus legítimos interesses e na promoção do desenvolvimento sustentável e da competitividade do regadio.

Actualmente conta com 27 associados que representam mais de 25 mil agricultores regantes e cerca de 126.000 hectares, que significa mais de 90% do regadio organizado, 76% do regadio colectivo público e cerca de 20% do regadio nacional.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

O artigo Estudo da Fenareg: são necessários 1.700 M€ de investimento no regadio até 2027 foi publicado originalmente em Agricultura e Mar.

Anterior Dia da Europa 2019
Próximo Paderne recebe sessão dos Fóruns de Modernização da Agricultura do Crédito Agrícola

Artigos relacionados

Nacional

Dezenas de abelhas encontradas mortas em Lisboa. Análises detetaram pesticidas proibidos

[Fonte: Observador]
Dezenas de abelhas foram encontradas mortas na horta comunitária da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (Horta FCUL), nas últimas semanas. Ainda não há certezas absolutas sobre a causa da morte, mas a análise preliminar aos animais mortos permitiu perceber que tinham sido contaminadas com pesticidas que não podem ser usados na Europa ou que, […]

Últimas

Agricultura: Governo apoia rebanhos para prevenir fogos

[Fonte: Reconquista]
No distrito de Castelo Branco há cerca de 60 freguesias elegíveis a estes apoios.
O Ministério da Agricultura vai disponibilizar cinco milhões de euros para projetos de gestão de combustível florestal com recurso à pastorícia, para prevenir a propagação de incêndios. […]

Nacional

Prémio Terre de Femmes anuncia painel de júri da 11.ª edição. Candidaturas até 30 de Setembro

[Fonte: Agricultura e Mar]
Luísa Schmidt, Susana Fonseca, Mário Grácio e Milene Matos são os especialistas que vão eleger as grandes vencedoras da 11.ª edição do Prémio Terre de Femmes. O painel de júri distingue todos os anos mulheres com projectos a favor do ambiente. […]