Ensino superior afina oferta

Ensino superior afina oferta

[Fonte: O Jornal Económico]

Um leque alargado de escolhas é o que prometem faculdades, institutos superiores e politécnicos. Entre as novidades para 2019/2020 figuram novos ciclos de estudo em áreas emergentes, mestrados e cursos técnicos superiores profissionais (TeSP).

1 – Que novidades reservam universidades e politécnicos para o próximo ano letivo?

Joana Nunes da Costa, subdiretora da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra

Aposta nas áreas emergentes

No que respeita a oferta formativa, a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) encontra-se a preparar novos ciclos de estudo em áreas emergentes, tais como Ciência de Dados, Biologia Computacional, Recursos Biológicos, Valorização do Território e Sustentabilidade e ainda Física Médica. Estes novos cursos oferecem uma formação especializada e multidisciplinar, a um nível avançado, e vêm dar resposta a necessidades de formação académica específicas requeridas pelo mercado de trabalho.

Os novos cursos formam profissionais qualificados nas várias áreas em que se enquadram, e visam também dotar os estudantes de uma visão abrangente e integrada de tópicos científicos e tecnológicos, que lhes permita prosseguir os seus estudos para o nível de uma carreira de investigação.
A criação destes novos ciclos de estudo assenta na estratégia global da FCTUC, enquanto escola de referência. Com uma oferta formativa muito diversificada – mais de cinco dezenas de licenciaturas ou mestrados e mais de duas dezenas de doutoramentos –, a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra oferece aos seus estudantes ensino e investigação de excelência, bem como uma forte ligação ao tecido tecnológico e económico.

Rui Pedrosa, Presidente do Politécnico de Leiria

TeSP nas áreas TEC, Saúde e Engenharias.

No próximo ano letivo o Politécnico de Leiria irá ter em funcionamento um conjunto de novos cursos de mestrado e cursos técnicos superiores profissionais (TeSP) nas áreas da Saúde, Engenharias e Tecnologias e no âmbito da Gestão dos Recursos Minerais. Em paralelo, alguns cursos de licenciatura irão ver o seu plano de estudos atualizado, procurando ir ao encontro das necessidades do mercado de trabalho e das empresas.
Em 2019/2020, os estudantes irão encontrar plataformas online modernizadas e atualizadas, tendo sido implementadas novas funcionalidades e ferramentas que irão facilitar o acesso a vários serviços. Merece ainda um especial destaque a redução do valor das propinas dos cursos de licenciatura, TeSP e de alguns mestrados para 871,72 euros, correspondendo a uma diminuição do valor que ultrapassa os 16% no caso das licenciaturas.

Cláudia Carvalho, Diretora Marketing e Comunicação da Universidade Portucalense

Novo short master executivo.

A Universidade Portucalense está sempre atenta à evolução das necessidades do mercado, criando novas oportunidades de formação diferenciadoras e relevantes.
Em especial, os programas de formação executiva da UPT são anualmente analisados, com base no retorno dos formandos e dos nossos parceiros empresariais, com os quais reunimos periodicamente para garantirmos que as estruturas dos cursos e os conteúdos programáticos vão ao encontro das necessidades reais de formação.
O grande reconhecimento da maior parte da nossa oferta formativa leva à continuidade da maioria dos cursos, alguns dos quais já têm um conjunto de edições significativo, como seja o MBA para Gestores de PME, que iniciará a 11ª edição em outubro.
Em termos de novidades formativas, nesta fase podemos adiantar que no próximo ano letivo ofereceremos um novo Short Master Executivo em Direito e Gestão, e uma nova Formação Aplicada: Dois Caminhos uma Estratégia – Transformação Digital. Adicionalmente, no presente ano letivo lançamos um inovador programa de Doutoramento em Ciências Empresariais, em parceria com cerca de duas dezenas de grandes empresas. É um doutoramento colaborativo entre a indústria e a academia, que visa dar resposta a desafios concretos das empresas.

Nelson Ribeiro, Diretor Faculdade de Ciências Humalnas da UCP | Lisboa

Alargar rede de parcerias.

Em 2019/2020 vamos alargar a nossa rede de parcerias internacionais, possibilitando aos alunos da licenciatura em Comunicação Social e Cultural realizar um semestre do seu curso nos Estados Unidos, nomeadamente na University of Kent State, que tem uma longa tradição de ensino e investigação na área de Comunicação. Na mesma linha, os alunos do nosso mestrado em Estudos Asiáticos vão poder realizar algumas unidades curriculares em Macau e ter um período de imersão na China, com visitas a empresas e organizações localizadas em diversas metrópoles da China continental. Iremos também aumentar o número de possibilidades para estágios internacionais para os nossos estudantes de licenciatura e mestrado.
No plano nacional, o nosso programa de ‘mentoring’ irá ser reforçado com a colaboração dos alumni da Faculdade de Ciências Humanas e as nossas turmas de mestrado e doutoramento serão ainda mais internacionais e multiculturais a avaliar pela alta taxa de estudantes estrangeiros admitidos na 1ª fase, sobretudo nos mestrados em Ciências da Comunicação, Estudos de Cultura e Psicologia Aplicada à Economia e à Gestão.

Clara Raposo, Presidente do ISEG Lisbon School of Economics & Management

Leque alargado de escolhas.

Este ano trazemos aos novos candidatos às licenciaturas um leque alargado e muito atual de escolhas, com ensino em língua inglesa ou em português, consoante as preferências de cada um. Temos a novidade de a licenciatura Finance estar renovada, com ensino em inglês e com uma importante parceria internacional que proporciona dupla licenciatura (no ISEG -Universidade de Lisboa) e numa reputada universidade na Polónia (Kozminski University). A licenciatura de MAEG (Matemática Aplicada à Economia e Gestão) continua a dar uma preparação única de excelência em termos de solidez quantitativa. E temos, naturalmente, as licenciaturas em Gestão e em Economia (ou em inglês, Management ou Economics) que continuam a atrair excelentes alunos que facilmente encontram saídas profissionais ou continuam estudos em mestrados – em Portugal ou em qualquer parte do mundo – para os quais estão muito bem preparados. Para além da imagem de marca do ISEG – de grande solidez técnica, quantitativa e analítica – também temos novidades ao nível da formação em soft sills e desenvolvimento pessoal, com novas formações e com uma maior presença no nosso campus, ao longo do ano, de empresas e empreendedores com impacto no mundo.

Jorge Adelino Costa, Vice-Reitor para o Ensino e Formação Universidade de Aveiro

Formação rigorosa e interdisciplinar.

No próximo ano letivo, a Universidade de Aveiro continuará a proporcionar aos estudantes que se matriculem nos seus vários cursos (Técnicos Superiores Profissionais, Licenciaturas, Mestrados e Doutoramentos) o ambiente de formação rigorosa, inovadora e interdisciplinar que decorre da sua estrutura matricial, que integra os subsistemas de ensino universitário e politécnico, e se traduz na permanente interação entre unidades, serviços e demais estruturas. Entre outras novidades que os estudantes poderão esperar em 2019/2020, indicam-se as cinco seguintes: i) o incremento do ensino e da aprendizagem interdisciplinares, cruzando áreas científicas e departamentos distintos, com os estudantes a poderem realizar trabalhos de projeto com a participação de diferentes áreas (por exemplo, informática+design+ psicologia, …), aumentando-se também a escolha de opções em qualquer área (“opções livres”); ii) um maior impulso na articulação entre o ensino e a investigação, permitindo aos estudantes (particularmente os de Licenciatura) participarem em projetos e terem contacto direto centros de investigação; iii) espaços acolhedores de integração e ação intercultural, através do espaço UAI (UA Intercultural), onde os estudantes das 85 nacionalidades presentes na Universidade sejam particularmente acolhidos e onde se desenvolverão atividades que solidifiquem valores comuns de cidadania no respeito pela diversidade e pela diferença; iv) os espaços E24, locais acessíveis a qualquer hora e a qualquer dia da semana, de modo a que os estudantes possam gerir autonomamente os seus ritmos de estudo, em ambiente mais colaborativo, em grupo, potenciando o desenvolvimento de novas dinâmicas de trabalho e de novas competências; v) o mega piquenique, no primeiro dia do ano letivo, dia 16 de setembro, com toda a comunidade a dar as boas-vindas aos novos estudantes, num dia de festa, alegria e convívio entre todos, marcado por princípios e valores de integração académica.

Helena Oliveira, Vice-Presidente do Instituto Superior de Agronomia

Competências especializadas.

O Instituto Superior de Agronomia procurará em 2019/2020, a exemplo dos anos anteriores, integrar os novos alunos num espaço vibrante de ensino e formação avançada no seu campus da Tapada da Ajuda, o qual abrange 100 hectares localizado no centro da cidade de Lisboa, visando dar resposta às necessidades das empresas e da sociedade nos domínios da agricultura, floresta, alimentação, ambiente, zootecnia, biologia e arquitectura paisagista. Neste sentido, continuaremos a providenciar aos estudantes competências especializadas essenciais, mas não ignorando os novos desafios da interdisciplinaridade, perfeitamente adaptados às orientação da Declaração de Bolonha em termos de competências profissionais de licenciatura e mestrado. Estas competências são amplamente reconhecidas pelas entidades empregadoras, sendo a taxa de empregabilidade dos nossos diplomados muito superior à de diplomados de outros cursos situados nas mesmas áreas de formação.

Comente este artigo

O artigo Ensino superior afina oferta foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Anterior Curso - Aplicação de Produtos Fitofarmacêuticos - Pós Laboral - 25 de junho a 22 de julho
Próximo Arraiolos recebe workshops sobre o figo da Índia a 16 de Junho

Artigos relacionados

Últimas

“É preciso resposta por parte da investigação”

[Fonte: Voz do Campo]

Ana Paula Carvalho, DGAV
O atual momento, com a retirada de substâncias ativas do mercado e a dificuldade em encontrar outras que as substituam obriga a uma mudança de paradigma. […]

Últimas

Arganil refloresta dois mil hectares de baldios com autóctones

[Fonte: SAPO 24]

Os grandes incêndios de 15 de outubro de 2017 obrigaram o concelho a “olhar para a floresta de uma forma diferente” […]

Últimas

The Navigator Company cria modelo de gestão de combustíveis baseado na silvo pastorícia para evitar incêndios

[Fonte: Gazeta Rural]

A The Navigator Company, em parceria com o Prof Mário de Carvalho do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas (ICAAM) da Universidade
de Évora, […]