Difusão do abacate traz grande cooperativa espanhola para o Algarve

Difusão do abacate traz grande cooperativa espanhola para o Algarve

[Fonte: Voz do Campo]

Provavelmente ainda não será do senso comum associar o Algarve à produção de abacate mas já em março de 2018 o então Diretor Regional de Agricultura e Pescas avançava que a região contabilizava mais de 800 hectares desta cultura e com tendência de crescimento. Nessa mesma altura os dados da Portugal Fresh diziam que em 2013 o valor das exportações de abacate foi de 665 mil euros e em 2017 já atingiu os seis milhões.

O abacateiro é uma fruteira originária da América Central, onde se verificam baixas amplitudes térmicas, muita humidade relativa e solos com muita matéria orgânica, as suas condições preferenciais. Embora no Algarve não seja exatamente assim, há locais onde está a ser muito bem sucedida, como provam os números acima mas também a presença cada vez mais consistente da TROPS, uma Cooperativa espanhola da zona de Vélez (Málaga) especializada em fruta subtropical.

Em Espanha o passado desta Cooperativa remonta a 1979 e a ligação com Portugal também já não é nova, até porque, além da comercialização, do seu trabalho faz parte o acompanhamento e aconselhamento dos produtores, dispondo de uma forte equipa de técnicos e apostando muito na investigação.

Armazém em Tavira no final do verão

Duarte Pereira é o rosto da TROPS em Portugal e a presença da Cooperativa está a ser reforçada com a construção de um armazém na zona industrial de Tavira, prevendo-se que a obra esteja finalizada no final do verão. A mais-valia desta presença manifestar-se-à principalmente a nível logístico, com maior rapidez no processo de comercialização.
Entretanto, enquanto isso não acontece, a fruta segue os trâmites normais, para Málaga, onde é calibrada, embalada numa grande diversidade de opções e segue para os circuitos comerciais (em 25 países). Neste momento em Espanha a TROPS conta com cerca de 2700 sócios, com produções de dimensões muito diferentes. Em Portugal contabilizam-se 31 sócios com uma área aproximada de 500 hectares, numa realidade diferente da espanhola, isto é, “menos sócios mas com áreas maiores”.

Conhecedor dos produtores portugueses, a perceção de Duarte Pereira é que estes estão satisfeitos com o trabalho desenvolvido pela Cooperativa, cuja postura base é ajudar o sócio em todas as suas necessidades relativamente à cultura do abacate.

Pedro Mogo é um bom exemplo disso. Formado em Engenharia Agrícola quando terminou a sua formação quis apostar em algo diferente e trocou a familiar cultura dos citrinos pelo abacate (ver páginas seguintes). Ainda vendeu alguma produção em Portugal mas está com a TROPS desde 2012 e diz-se bastante satisfeito com a decisão porque desta forma consegue fazer um planeamento atempado da colheita com uma previsão de preços à quinzena. É também um bom representante do universo de produtores portugueses que trabalham com a TROPS que se inserem num perfil maioritariamente jovem.

Para ler na íntegra na Voz do Campo n.º 223 (fevereiro 2019)

Comente este artigo

O artigo Difusão do abacate traz grande cooperativa espanhola para o Algarve foi publicado originalmente em Voz do Campo

Anterior Citrinos do Algarve ganham mais organização
Próximo Fruit Logistica apresenta relatório de tendências do setor da distribuição para 2019

Artigos relacionados

Últimas

Governo quer cadastro em “zona piloto” atingida pelos fogos


O ministro Adjunto Eduardo Cabrita defendeu nesta terça-feira, em Castanheira de Pera, a realização do cadastro predial nos concelhos da região Centro devastados pelos incêndios de junho.“O cadastro é uma prioridade absoluta para o país”, declarou Eduardo Cabrita aos jornalistas, no final de uma reunião com representantes de sete municípios atingidos pelos fogos mais recentes: Pampilhosa da Serra, […]

Últimas

Revista Voz do Campo

[Fonte: Voz do Campo]
Revista Voz do CampoRevista Voz do CampoMostra Silves Capital da Laranja já começouPoda da Vinha em Curso de FormaçãoAzeite de Moura DOP reconhecido como Sabor do AnoHá “sangue novo” na citricultura algarviaAvaliação qualitativa do figo à colheitaAmeaça da Xylella fastidiosa domina Encontro com Cooperativas OlivícolasA produção de avestruzesEm Silves há […]

Nacional

Recuperação de muros no Douro teve apoio de 20 milhões

Vitivinicultores do Douro alertam que cerca de “mil projetos” de recuperação dos tradicionais muros de xisto foram chumbados pelo PDR2020. Ministério garante que deu apoio de 20 milhões em 2016.

O Ministério da Agricultura informou esta quarta-feira que apoiou a recuperação dos muros no Douro com 20,2 milhões de euros e garantiu estar a acompanhar os incêndios, […]