Costa aponta dedo à PT por colapso no SIRESP

Costa aponta dedo à PT por colapso no SIRESP

[Fonte: Jornal De Negócios]

O primeiro-ministro, António Costa, disse que as falhas do SIRESP resultaram “do colapso” da Portugal Telecom (PT), numa entrevista concedida ao jornal Expresso, que publica hoje parte da conversa com o líder do executivo.

“O colapso do SIRESP resultou do colapso da rede da PT”, declarou ao jornal o primeiro-ministro.

Segundo o Expresso, o Governo responsabiliza a PT “pelas falhas de comunicação na tragédia de Pedrógão Grande e quer forçar a empresa a melhorar a sua rede em áreas potenciais de incêndio, substituindo cabos aéreos (como os que arderam em Pedrógão) por cabos subterrâneos nas estradas que já disponham de calhas técnicas para o efeito – mas que estão vazias”.

“É inadmissível que as redes de comunicações junto as estradas nacionais que já têm calhas técnicas não estejam enterradas e continuem com os cabos aéreos”, disse Costa.De acordo o jornal, a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, está a pressionar a empresa que gere o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP), o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, está a negociar com a PT e António Costa já teria falado sobre esta questão com o ‘patrão’ da Altice, Patrick Drahi, que controla a PT.

O primeiro-ministro, segundo o jornal, não comentou as informações sobre as pressões à empresa de telecomunicações.

António Costa remeteu as suas declarações para as conclusões do relatório preliminar do Instituto de Telecomunicações, divulgado esta semana.

“O que falhou foi que grande parte daquela rede (de emergência, do SIRESP) assenta na rede fixa da PT; a rede fixa da PT assenta em cabos aéreos que, obviamente, numa zona florestal que está a arder, ardem. E, portanto, colapsam as comunicações”, disse Costa.

O primeiro-ministro afastou, contudo, intervenções drásticas, como nacionalizar o SIRESP ou “rasgar” o contrato.

“A nacionalização ou qualquer uma dessas medidas não resolveria o problema”, declarou Costa, tendo sido o próprio a assinar o contrato com o SIRESP quando era ministro da Administração Interna, em 2005.

O primeiro-ministro referiu que outras medidas estão a ser tomadas para a resolução do problema.

A ministra da Administração Interna, segundo Costa, “está precisamente neste momento a trabalhar com o SIRESP para que seja dotado das redundâncias necessárias para que este sistema não falhe, além de já ter assegurado o funcionamento pleno de quatro carrinhas que asseguram a ligação a satélite que permita restabelecer as ligações em caso de colapso da rede fixa da PT”.

De acordo com o Expresso, o Governo está a pressionar o próprio SIRESP a exigir melhores serviços da PT.

Ainda segundo o jornal, Pedro Marques está a liderar as conversas com a PT, “mas também a baixar os custos a suportar pela empresa para que os cabos possam ser enterrados nas calhas técnicas”.

“O custo é o principal obstáculo levantado pela PT, que terá de pagar não só pela passagem dos cabos aéreos para subterrâneos como terá de passar a suportar custos pela passagem dos cabos”, de acordo com o jornal.

O Expresso referiu ainda que o “Governo prepara-se para anunciar uma descida dos preços cobrados pelas Infraestruturas de Portugal (IP)” e, na próxima segunda-feira, “os preços cobrados pela IP para a oferta comercial de Canal Técnico Rodoviário terão uma descida de 50%”.

Este novo preçário teve a concordância dos dois reguladores do setor, a ANACOM – Autoridade Nacional de Comunicações e o Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT).

A entrevista na íntegra com António Costa será divulgada pelo Expresso na próxima semana

Comente este artigo

O artigo Costa aponta dedo à PT por colapso no SIRESP foi publicado originalmente em Jornal De Negócios

Anterior Governo enaltece "trabalho de excelência" dos operacionais no combate aos incêndios
Próximo Pourquoi les œufs au fipronil ont voyagé jusqu’à nos assiettes

Artigos relacionados

Nacional

Vinhos do Fogo escolhidos como projeto-piloto para reconhecimento do estatuto de denominação de origem

[Fonte: Gazeta Rural]

Os vinhos produzidos na ilha do Fogo, Cabo Verde, foram escolhidos como projeto-piloto para fins de reconhecimento do estatuto de denominação de origem e indicação geográfica, confirmou o Instituto de Gestão da Qualidade e da Propriedade Intelectual (IGQPI). […]

Nacional

Madeira já desencadeou operações de limpeza em 230 hectares de terrenos florestais

[Fonte: Observador]

O Governo Regional da Madeira já desencadeou operações de limpeza em cerca de 230 hectares de terrenos florestais, um ano após os incêndios de agosto de 2016, informou esta quinta-feira a secretária do Ambiente e Recursos Naturais.
“Nós estamos a intervir com meios próprios, […]

Internacional

MEPs shoot down Commission plan to ban pesticides on EFAs

[Fonte: Agra-europe news]

MEPs have voted down the European Commission’s proposal to ban pesticides on so-called Ecological Focus Areas (EFAs) under the ‘greening’ provisions of the CAP.

The Parliament’sagriculture committee (ComEnvi) in a vote held in Brussels today (May 30)blocked the EU executive’s delegated act
… […]