Comunicado de imprensa – Pescas: PE propõe controlos mais eficazes e proteção da pesca costeira

Comunicado de imprensa – Pescas: PE propõe controlos mais eficazes e proteção da pesca costeira

O Parlamento Europeu aprovou hoje recomendações para a revisão do regulamento sobre o controlo das pescas, prevista para 2017. Os eurodeputados defendem um tratamento igualitário dos pescadores nos vários países da UE, uma aplicação uniforme das inspeções e exige que esta revisão seja efetuada em conjunto com o setor pesqueiro, “especialmente o setor da pesca costeira, tradicional e artesanal, cuja proteção e promoção deve ser o objetivo de qualquer nova legislação”.

O PE propõe uma série de medidas para tornar os controlos das pescas na UE mais justos, equilibrados e eficazes. Recomenda, por exemplo, a harmonização das inspeções para que haja igualdade de condições entre todas as atividades de pesca, um alargamento dos controlos a toda a cadeia de produção, a criação de um «currículo de base» de formação dos inspetores, e apela a que sejam evitadas disparidades em matéria de sanções.

Os eurodeputados salientam que a eficácia dos controlos varia também em função da enorme diversidade de áreas de pesca da UE, que inclui zonas restritas e confinadas, cujos recursos pesqueiros são partilhados essencialmente pelos Estados-Membros adjacentes, bem como zonas de pesca muito longínquas e remotas.

O PE refere, em particular, as características específicas das regiões ultraperiféricas, “cujas vastíssimas Zonas Económicas Exclusivas (ZEE) eminentemente oceânicas, conjugadas com o tipo de recursos pesqueiros explorados (maioritariamente espécies de profundidade e grandes migradores pelágicos) e com a escassez de recursos alternativos, justificam claramente um reforço das ações de controlo nestas regiões fortemente dependentes da pesca e altamente vulneráveis à atividade devastadora de frotas reconhecidamente incumpridoras das regras da PCP [política comum das pescas]”.

Os eurodeputados incentivam também a criação de mecanismos de financiamento destinados a aumentar o uso de tecnologias de baixo custo, a fim de permitir o controlo voluntário e aumentar a monitorização e a segurança dos pescadores, especialmente na pesca artesanal em pequena escala.

O PE exige que a revisão do regulamento sobre o controlo das pescas seja efetuada em conjunto com o setor pesqueiro, “especialmente o setor da pesca costeira, tradicional e artesanal, cuja proteção e promoção deve ser o objetivo de qualquer nova legislação”.

O relatório foi aprovado em plenário por 581 votos a favor, 59 contra e 48 abstenções.

Comente este artigo
Anterior “Cogumelos do Côa” – Passeio Micológico de Rendo - 06 de Novembro 2016 - Sabugal
Próximo 3.º Concurso de Vinhos do Crédito Agrícola - Provas Cegas decorrem já no final da semana

Artigos relacionados

Nacional

VI Jornadas de Alimentação Animal – Inscrições Encerradas

IACA – Associação Portuguesa das Indústrias de Alimentos Compostos para Animais  anuncia que devido a razões de logística e terminado o prazo oficial que concedemos, as inscrição para as VI Jornadas de Alimentação Animal, que se vão realizar em Fátima, no dia 21 de setembro, […]

Comunicados

Federação dos Agricultores alentejanos escreve ao Ministro a reclamar medidas excepcionais contra a seca

Face à situação de seca extrema vivida no Alentejo que, independentemente da precipitação e das previsões meteorológicas, já causou danos irreparáveis na agricultura da região, a Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo – FAABA – reclama do governo medidas de carácter excepcional. Em reunião da FAABA com as suas associadas foi decido enviar, […]

Comunicados

BUYINPORTUGAL.PT

Tomou a BUYIN.PT – Comércio Electrónico, S.A, detentora da plataforma BUYINPORTUGAL.PT, público conhecimento das declarações do Senhor Secretário de Estado da Internacionalização, Jorge Costa Oliveira, à margem da cimeira sobre Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, nos termos das quais este governante deu a conhecer que a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) está quase a fechar um acordo com o Grupo Alibaba para garantir a venda de produtos lusos na maior plataforma de comércio electrónico do mundo. […]