Cinco concelhos de Faro com risco máximo de incêndio

[Fonte: O Jornal Económico]

Os concelhos de Loulé, São Brás de Alportel, Tavira, Castro Marim e Alcoutim, no distrito de Faro, apresentam esta quarta-feira risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou também em risco muito elevado de incêndio 17 concelhos dos distritos de Faro, Beja, Santarém, Castelo Branco, Braga e Bragança.

Em risco elevado de incêndio estão mais de 70 concelhos dos distritos de Faro, Beja, Évora, Lisboa, Santarém, Castelo Branco, Viseu, Portalegre, Braga, Vila Real e Bragança.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA tem cinco níveis, que vão de “reduzido” a “máximo”, sendo o “elevado” o terceiro nível mais grave.

Os cálculos para este risco são obtidos a partir da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Devido ao elevado risco de incêndio, o Governo decidiu prolongar a proibição de queimadas até quinta-feira nos distritos de Beja, Bragança, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda, Lisboa, Portalegre, Santarém e Setúbal.

Os ministros da Administração Interna, Eduardo Cabrita, e da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, assinaram terça-feira um despacho conjunto que determina o prolongamento da proibição de queimadas e de queimas de sobrantes de exploração até quinta-feira naqueles 10 distritos de Portugal Continental.

Segundo o Governo, esta decisão decorre das previsões do IPMA e do aviso à população da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil sobre o perigo de incêndio rural que determina o prolongamento do Estado de Alerta Especial Amarelo do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais naqueles distritos até às 23:59 do dia 16 de maio.

Os meios de combate aos incêndios vão ser reforçados a partir de hoje, passando a estar no terreno 7.606 operacionais, 1.735 viaturas e 21 meios aéreos, um aumento em relação ao mesmo período de 2018.

A Diretiva Operacional Nacional (DON), que estabelece o dispositivo especial de combate a incêndios rurais (DECIR) para este ano, indica que, entre hoje e 31 de maio, o reforço de meios se situa no “nível II”, o primeiro aumento adicional do ano.

Dados provisórios do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) indicam que este ano registaram-se 2.753 ocorrências de incêndios rurais, que queimaram 5.494 hectares.

Segundo o ICNF, 46% da área ardida diz respeito a povoamentos florestais, 51% a matos e 3% a agricultura.

Comente este artigo

O artigo Cinco concelhos de Faro com risco máximo de incêndio foi publicado originalmente em O Jornal Económico

Anterior Secretário de Estado do Ambiente defende aposta na agricultura de precisão
Próximo Governo vai instalar laboratório de combate a efeitos das alterações climáticas em Elvas 

Artigos relacionados

Nacional

“Vítimas dos incêndios continuam a precisar de ajuda”, alerta Cáritas de Seia

[Fonte: Rádio Renascença]

Toca a campainha da Cáritas de Seia. Alguém do outro lado pede ajuda para roupa ou alimentação. “Temos para fazer 48 cabazes”, revela à Renascença Américo Correia, que dirige o destino da Cáritas local há quase 20 anos. […]

Nacional

(Re)pensar o agroalimentar – Editorial Teresa Silveira+Suplemento Agrovida

A indústria agroalimentar atingiu em 2016 um volume de negócios de 15,4 mil milhões de euros, com um VAB de 2,8 mil milhões, sendo responsável por mais de 108 mil empregos diretos e mais de 500 mil indiretos. No global, registou um volume de exportações de 6,3 mil milhões de euros (11,3% do total da economia). […]

Nacional

Zona do Pinhal avança com projeto de estruturação e monitorização da Floresta

[Fonte: Voz do Campo]

“Floresta Global” é um dos 9 projetos complementares que integram a Rede de Apoio ao Empreendedorismo e Inovação INOV C 2020. Propõe otimizar a gestão florestal através do apoio tecnocientífico e do desenvolvimento de ferramentas e soluções que permitam viabilizar modelos gestão em pequenas povoações. […]