Assobiador. O sobreiro “casamenteiro” que quer conquistar a Europa

Assobiador. O sobreiro “casamenteiro” que quer conquistar a Europa

[Fonte: Rádio Renascença]

É o mais antigo do mundo e os seus 234 anos de idade não o impedem de se atirar a um novo título. Chama-se Sobreiro Assobiador, vive na freguesia de Águas de Moura, concelho de Palmela, e pode estar a caminho de ser, também, “Árvore do Ano”.

Portugal estreia-se no concurso “Tree of the Year 2018″, promovido pela ELO – European Landowners Organization, em parceria com a Environmental Partnership Association e a Tetra Pak, com um concorrente de peso. Imponente, produtivo e exemplo de vitalidade, o Assobiador foi escolhido pela UNAC – União da Floresta Mediterrânica, que selecionou o sobreiro de Águas de Moura para correr pelo título de “Árvore do Ano” e que desafiou a câmara de Palmela a juntar-se ao concurso.

“Tem um enorme significado para nós, pois trata-se de um exemplar único, centenário, com uma idade estimada de 234 anos e que reconhece o esforço que temos feito para preservar o espécime e o espaço onde está inserido”, confessa à Renascença Álvaro Amaro, presidente do município palmelense.

Figura central de um espaço de lazer apetecível, o sobreiro é conhecido como “assobiador” ou “casamenteiro”.

“O pessoal da aldeia diz que é assobiador por ser habitado e visitado por muitos pássaros”, refere o autarca. “Há aqui todo um simbolismo se pensarmos que à sombra desta árvore terão sido arranjados muitos casamentos, de forma que é também conhecido como casamenteiro”, acrescenta.

Há muito que a majestosa árvore se tornou atração turística e pela localidade da freguesia de Marateca passam muitos visitantes. “Fico muito feliz quando me dizem que por ali passaram, por exemplo, um autocarro de japoneses para o fotografar ou um grupo de suecos”, conta Álvaro Amaro.

Com 16 metros de altura, “continua a ser um sobreiro saudável que já foi descortiçado mais de 20 vezes, desde 1820”, sublinha o presidente do município, acentuando que “a extração efetuada em 1991, deu mais de 1200 quilos de cortiça”, o suficiente para “mais de cem mil rolhas, isto para associar a esta terra de vinhos”.

“Estamos muito felizes por ter sido escolhidos para este concurso internacional, com as suas árvores com histórias interessantes e com impacto nas suas comunidades”, adiciona o autarca.

O sobreiro, classificado como “Árvore de Interesse Publico” desde 1988 e inscrito no Livro de Recordes do Guiness como “o maior sobreiro do mundo”, vai disputar o concurso com outras 12 árvores. As votações já estão a decorrer e prolongam-se até 28 de fevereiro.

O convite é feito por Álvaro Amaro: “Faço um apelo a todas as regiões para que votem no assobiador de Águas de Moura, um património que representa bem as nossas tradições”.

Para votar, e consultar as histórias de cada árvore, basta visitar o site oficial da Árvore Europeia do Ano 2018.

Os resultados são anunciados numa cerimónia de entrega de prémios, em Bruxelas, marcada para 21 de março.

Comente este artigo

O artigo Assobiador. O sobreiro “casamenteiro” que quer conquistar a Europa foi publicado originalmente em Rádio Renascença

Anterior UE prorroga autorização de feno-grego por um ano e de fluoreto de sulfurilo por três
Próximo García Tejerina: Se trabaja con el sector porcino en incrementar las exigencias sanitarias

Artigos relacionados

Últimas

Projecto SafeConsume visa aumentar a segurança alimentar

[Fonte: ffl revista]

Com a duração de cinco anos, o projecto europeu SafeConsume tem como principal objectivo aumentar a segurança alimentar na Europa. A iniciativa conta com um financiamento de 9,5 milhões de euros, no âmbito do programa de investigação e inovação Horizonte 2020, […]

Últimas

Governo apoia agricultores afectados pelos fogos

[Fonte: ffl revista]

Tal como aconteceu com os agricultores afectados pelo grande incêndio de Pedrógão Grande, também os produtores que sofreram prejuízos com fogos noutras zonas do País, poderão receber apoios do Governo, reiterou o Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural.
Para isso, […]

Nacional

Incêndios: meios aéreos extraordinários terão custado até 5,4 milhões de euros

[Fonte: Jornal económico]

O Governo contratou extraordinariamente o aluguer de helicópteros e aviões anfíbios, assim que terminaram os contratos de aluguer de meios aéreos privados para combate aos incêndios, a partir de 15 de outubro.
Os contratos excepcionais de aluguer de meios de combate aéreos, […]