António Costa: “Para atingir a neutralidade carbónica em 2050 teremos que cortar 85% das emissões”

António Costa: “Para atingir a neutralidade carbónica em 2050 teremos que cortar 85% das emissões”

[Fonte: O Jornal Económico]

“Para atingir a neutralidade carbónica em 2050 teremos que cortar 85% das emissões”, sublinhou hoje o primeiro-ministro António Costa, na intervenção de abertura do debate quinzenal sobre políticas ambientais e de valorização do território. “E todos os setores terão que contribuir para este objetivo”, acrescentou.

Costa destacou o “combate às alterações climáticas” como “o grande desafio político, social e económico do século XXI”, salientando um conjunto de iniciativas do atual Governo. “Quisemos dar o exemplo e fomos o primeiro país do mundo, em 2016, a assumir que iríamos ser neutros em emissões de carbono no ano de 2050. E, no dia 6 de junho, fomos o primeiro país a concluir e a aprovar o roteiro para a neutralidade carbónica”.

Ao nível da descarbonização da sociedade, em reunião do Conselho de Ministros a 6 de junho, o Governo aprovou duas medidas: “O Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050, através do qual é adotado o compromisso de alcançar a neutralidade carbónica em Portugal até 2050, o que se traduz num balanço neutro entre emissões de gases com efeito de estufa (GEE) e o sequestro de carbono pelo uso do solo e florestas”; e “a resolução que contempla a aquisição e locação de veículos de zero emissões por parte de setor empresarial do Estado, contribuindo para a descarbonização das frotas das empresas públicas. Dá-se, assim, mais um passo no sentido de reduzir as emissões nacionais de gases com efeito de estufa entre 45% e 55% até 2030, devendo o setor dos transportes contribuir com uma redução de 40%”.

Em atualização.

Comente este artigo

O artigo António Costa: “Para atingir a neutralidade carbónica em 2050 teremos que cortar 85% das emissões” foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Anterior Como pode a tecnologia colmatar a falta de mão-de-obra?
Próximo Capoulas defende mais apoios da PAC, nas Regiões Ultra-periféricas e para o vinho

Artigos relacionados

Últimas

Construção da Barragem do Pisão avança com investimento de 168 M€

[Fonte: Vida Rural]

A construção da Barragem do Pisão, em Portalegre, vai mesmo avançar, contando com um investimento estimado em 168 milhões de euros. A notícia foi avançada pelo ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, que revela que o projeto deverá […]

Últimas

Município de Boticas aposta na valorização do Sítio GIAHS

[Fonte: Gazeta Rural]

No seguimento da classificação da região do Barroso, constituída pelos Concelhos de Boticas e Montalegre, como Património Agrícola Mundial pela FAO e no sentido de materializar o plano de ação definido no processo de classificação, o Município de Boticas apresentou uma candidatura, […]

Nacional

Há mais 1752 homens e 12 helicópteros para combater as chamas. Falta mobilizar os proprietários dos terrenos

[Fonte: Público]

O Verão de 2017 trouxe mais consciência aos portugueses sobre o risco dos incêndios, trouxe alertas para os políticos e lançou a todos o desafio: é preciso mudar tudo para que não volte a acontecer tudo outra vez. A pergunta tem sido feita com regularidade: afinal o que mudou depois dos trágicos fogos de há […]