Altri lucrou 68 milhões no primeiro semestre

Altri lucrou 68 milhões no primeiro semestre

[Fonte: O Jornal Económico]

As receitas totais da Altri atingiram 407 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, mais 7,6% que em idêntico período de 2018.

Os lucros desta empresa fixaram-se em 67,9 milhões de euros um decréscimo face aos  73,8 milhões de euros registados nos primeiros seis meses do ano passado.

Neste período, os lucros da empresa liderada por Paulo Fernandes ascenderam a 67,9 milhões de euros.

O EBITDA da Altri neste primeiro semestre de 2019 chegou aos 142,3 milhões de euros, mais 4,6% que no período homólogo.

“Num semestre em que se continuou a verificar a descida do preço de venda da pasta BHKP e no qual se realizou a paragem anual de manutenção da sua unidade da Figueira da Foz e de Vila Velha de Ródão as receitas totais, incluindo o contributo de 100% da atividade da bioelétrica, atingiram 407 milhões de euros, mais 7,6% que em igual período de 2018″l destaca um comunicado da Altri.

Segundo esse documento, “durante o primeiro semestre, o EBITDA do grupo situou-se nos 142,3 milhões de euros, correspondendo a um crescimento de 4,6% face a 2018, com a margem EBITDA a alcançar 34,9%”.

A administração da Altri realça que, no período em análise, o grupo produziu cerca de 546 mil toneladas de pasta, apesar das paragens da Celbi e da Celtejo, durante 15 e 30 dias, respetivamente.

“A Altri apresentou, neste período, um perfil eminentemente exportador, tendo colocado nos mercados externos 480,7 mil toneladas, traduzindo-se numa receita de 301 milhões de euros”, acrescenta o referido comunicado.

De acordo com esse documento, “os custos totais, excluindo amortizações, custos financeiros e impostos, no primeiro semestre, ascenderam a cerca de 265 milhões de euros, o que corresponde a um crescimento de cerca de 9,3% face ao montante de custos registados no ano anterior”.

“Este aumento explica-se, sobretudo, pela paragem de manutenção da Celbi e por um aumento significativo de produção na unidade industrial Celtejo”, assinala o referido comunicado.

A administração da Celbi explica: “para além dos custos de paragem, registe-se ainda os custos energéticos verificados na unidade de Ródão, motivados pela utilização de combustíveis auxiliares após a conclusão dos investimentos nesta unidade”.

“Nos três meses, a empresa realizou um investimento líquido total de 40 milhões de euros, dos quais sete milhões são relativos à construção da nova central de biomassa na Figueira da Foz”, revela o referido comunicado.

De acordo com administração da produtora de pasta e de papel  “o endividamento nominal remunerado líquido deduzido de disponibilidades da Altri em 31 de março de 2019 ascendia a 517,7 milhões de euros, correspondendo a um acréscimo de 85 milhões de euros face à dívida líquida registada no final de dezembro de 2018”.

A Altri adianta que relativamente à execução do plano de investimentos de 80 milhões de euros anunciado para o ano de 2019, o arranque da nova central de biomassa da Figueira da Foz ocorreu no início do terceiro trimestre.

“Atualmente, a Altri gere cerca de 80 mil hectares de floresta em Portugal, integralmente certificada pelo Forest Stewardship Council® (FSC®)[1] e pelo Programme for the Endorsement of Forest Certification (PEFC), dois dos mais reconhecidos mecanismos de certificação florestal a nível mundial”, além de deter três fábricas de pasta em Portugal, com uma capacidade instalada que em 2018 superou um milhão de toneladas/ano de pastas de eucalipto.

Comente este artigo

O artigo Altri lucrou 68 milhões no primeiro semestre foi publicado originalmente em O Jornal Económico.

Anterior Crise dos combustíveis põe em risco alimentação dos animais. IACA prevê prejuízo de 4 M€ por dia
Próximo Patrões unem-se contra envio para o Fisco de dados das empresas

Artigos relacionados

Nacional

Incêndios: Em Alijó fazem-se faixas de contenção para travar possíveis reacendimentos

[Fonte: SAPO 24]

“Na zona em que ardeu estamos a fazer uma faixa de contenção para que, no caso de haver reacendimentos, o fogo não prossiga para o outro lado da estrada onde está ainda uma vasta zona de pinhal”, afirmou Vítor Ferreira à […]

Últimas

Produtores de pera rocha investem seis milhões em nova central fruteira

[Fonte: O Jornal Económico]

A Coopval, que reclama ser a maior cooperativa de produtores de pera rocha em Portugal, investiu cerca de seis milhões de euros numa nova central fruteira no Cadaval.
“No ano em que comemora o cinquentenário da sua constituição, […]

Últimas

Fumeiro de Boticas premiado em Concurso Nacional de Fumeiros Tradicionais

[Fonte: Gazeta Rural]


O salpicão do lombo, o salpicão entremeado, a sangueira, a barriga e a alheira fumadas, produtos fabricados pela Fumeinor, em Boticas, foram distinguidos com medalhas de ouro e bronze na 9º edição do Concurso Nacional de Fumeiros Tradicionais, […]