Adega Mayor premiada em vários concursos nacionais e internacionais

[Fonte: Agricultura e Mar]

Os vinhos da Adega Mayor, do Grupo Nabeiro, voltaram a ser premiados nos mais prestigiados concursos internacionais e nacionais de 2017: Decanter World Wines Awards 2017(DWWA); Concurso Mundial de Bruxelas de 2017; International Wine Challenge (IWC); e Concurso Vinhos de Portugal.

O Caiado Tinto 2015 foi reconhecido com duas Medalhas de Bronze no DWWA e no IWC. As castas Castelão, Aragonês, Trincadeira e Alicante Bouschet desenham este vinho que no aroma é envolvente e pleno de fruta, destacando-se as ameixas maduras e umas notas de especiarias muito interessantes. Na boca é macio e cheio de frescura, com taninos redondos e suaves.

O Monte Mayor Reserva Tinto 2014 foi também distinguido com Bronze no DWWA e o Monte Mayor Reserva Tinto 2015 com a Medalha de Commended no IWC. Estes vinhos revelam uma cor granada e libertam aromas intensos a ameixas e amoras silvestres e flores harmoniosamente conjugadas com especiarias exóticas. Os taninos são redondos e na boca revela-se fresco, versátil e elegante.

O Solista Touriga Nacional 2014, premiado com Grande Ouro no Concurso Vinhos de Portugal 2017 e com Prata no IWC, no DWWA e no Concurso Mundial de Bruxelas. Este vinho é a merecida homenagem a um ícone das castas portuguesas. 100% Touriga Nacional, surpreende-nos com aromas vivos e violetas e frutos negros em compota, revelando na boca muita frescura, elegância e sofisticação.

Por sua vez, o Solista Verdelho 2015 conquistou duas medalhas. Uma de Prata no Concurso Mundial de Bruxelas e a Medalha Commended no DWWA. Este vinho 100% Verdelho, de cor citrina, com aroma a flores brancas e fruta tropical fresca, desperta sensações, prolongando na boca os aromas florais e notas de ananás sentidas no nariz.

Comendador Tinto 2013

Já, o Reserva do Comendador Tinto 2013 distingue-se com duas Medalhas de Prata no Concurso Vinhos de Portugal e no Concurso Mundial de Bruxelas. E também, com duas Medalhas de Commended no IWC e no DWWA. Desenhado a partir das castas Trincadeira, Alicante Bouschet, Aragonês e Syrah este vinho estagiou 18 meses em barricas novas de carvalho francês e um ano em garrafa. De cor granada e aroma intenso a frutos vermelhos maduros em manto subtil de especiarias exóticas, é suave na boca, elegante e memorável.

O Pai Chão Reserva 2013 arrecadou duas Medalhas de Prata no Concurso Mundial de Bruxelas e no DWWA e Medalha Bronze no IWC. Este vinho de cor granada intensa, aroma marcado pela complexidade doce dos frutos pretos, alcaçuz, tabaco holandês, chocolate negro e café torrado, surpreende na boca pela sua frescura e grande estrutura, mostrando taninos sólidos, mas sedosos, que revelam uma enorme capacidade de evolução.

Os prémios recentemente obtidos vêm reforçar a vasta lista de distinções nacionais e internacionais, num total de mais de 300 prémios, “num elogio à oferta singular e de excelência destes vinhos alentejanos”, refere fonte institucional da produtora.

Agricultura e Mar Actual

Comente este artigo

Receba este artigo na Newsletter do Agroportal

O artigo Adega Mayor premiada em vários concursos nacionais e internacionais foi publicado originalmente em Agricultura e Mar

Anterior Pedrógão Grande já é o maior incêndio de sempre em Portugal
Próximo Pedrógão Grande: Incêndio já consumiu quase 26.000 hectares - sistema europeu

Artigos relacionados

Últimas

Pais querem refeições feitas nas escolas com produtos locais

[Fonte: Observador]
Os pais e encarregados de educação defenderam, esta quinta-feira, que as refeições dos alunos voltem a ser feitas nas escolas e que os alimentos sejam comprados a produtores locais de forma a garantir melhor qualidade alimentar. O presidente da Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE), […]

Nacional

Calendários venatórios mantêm proibição da caça do coelho-bravo em duas ilhas dos Açores

[Fonte: Açoriano Oriental]
Segundo uma nota de imprensa do executivo regional, que cita uma portaria do secretário da Agricultura e Florestas, João Ponte, os calendários venatórios nos últimos dois anos “têm sido condicionados pelos efeitos da nova variante da DHV nas populações de coelho-bravo”. […]

Nacional

Conversa Capital com Eduardo Oliveira e Sousa

[Fonte: RTP notícias]
Estratégia
O novo presidente da CAP pede que a agricultura seja considerada como um setor estratégico para o pais.
Na primeira entrevista desde que assumiu o cargo no dia 19 de Abril, Eduardo de Oliveira e Sousa, refere que “o setor precisa de sentir que há uma estratégia para o pais definida de cima a abaixo que transmite confiança e orientação”. […]